A DECÊNCIA E ORDEM NO CULTO A DEUS

A PROFECIA E O FALAR EM LÍNGUAS DESCONHECIDAS
1 Coríntios:14


Em (1 Co 14), o apóstolo Paulo tem por necessidade instruir a igreja de Corínto sobre a decência e ordem no culto a Deus. E ele fala sobre dois tipos de línguas: Línguas para “edificação da Igreja”, e Línguas para “edificação pessoal”. Edificação significa “Crescimento”.

(Observando este capítulo é notório que o apóstolo Paulo enfatiza que o dom da profecia é muito importante para edificar a igreja, mas não significa que o dom de falar em línguas não seja importante! – Aqui Paulo explica a respeito do dom da profecia em um culto público visando o entendimento daquele que está entrando pela primeira vez na casa do Senhor, pois se a pessoa falar somente em línguas que não são compreensíveis, como aqueles que são visitantes irá entender?) – Veja: “Que o amor seja o maior alvo de vocês; contudo, peçam também os dons espirituais, particularmente o dom de profecia. Entretanto, aquele que tem o dom de falar em línguas está falando a Deus, não aos outros, visto que eles não podem compreendê-lo. Ele está falando pelo poder do espírito, fala em mistérios. Entretanto, aquele que profetiza, anunciando as mensagens de Deus, está ajudando os outros a crescer no Senhor, animando-os e confortando-os. Uma pessoa que fala em línguas está edificando-se a si mesma, porém quem profetiza edifica (ajuda) toda a igreja. Eu gostaria que todos vocês tivessem o dom de falar em línguas, porém desejaria ainda mais que todos fossem capazes de profetizar, anunciando mensagens de Deus, pois este é um poder maior e mais útil do que falar em línguas desconhecidas; a não ser que alguém interprete as línguas, a fim de que a igreja possa tirar proveito disso”.

(Aqui a orientação de Paulo é para se fazer uso de uma linguagem simples, para ser compreendido por todos, desde o mais graduado “estudado”, até aquele que nunca teve oportunidade de estudo, vemos, por exemplo, que se alguém vir até você falando em uma linguagem da qual você não compreende, como então isto poderá ajudá-lo? Afinal nem você e nem a pessoa ouvinte entendeu o que foi dito! No que isto edificou a pessoa? – “Queridos amigos, ainda que eu mesmo fosse visitá-los falando em línguas, como é que isso os ajudaria? Entretanto, se eu falar com simplicidade o que Deus me revelou, contando-lhes as coisas de que tenho conhecimento, ou uma profecia, bem como as grandes verdades da palavra de Deus, isso os ajudaria. Mesmo os instrumentos musicais, tais como a flauta ou a harpa, são exemplos de necessidade de tocar sons claros. Pois ninguém reconhecerá a melodia que a flauta está tocando, a não ser que cada nota soe bem claro. E se o corneteiro do exército não tocar as notas certas, como é que os soldados saberão que estão sendo chamados para a batalha? Do mesmo modo, se vocês falarem palavras que não são compreensíveis, como alguém saberá o que vocês querem dizer? Seria a mesma coisa que falar ao vento. Há muitas línguas (idiomas) diferentes neste mundo, e todas são excelentes para aqueles que as compreendem: para mim, porém, não significam nada. Uma pessoa que me fale numa dessas línguas será um estranho para mim, e eu também serei um estranho para ela. Já que vocês se encontram tão ansiosos para receber dons especiais do Espírito Santo, peçam-lhe aqueles que serão de ajuda real para toda a igreja”.

(Paulo ainda esclarece que quem receber o dom de falar em línguas desconhecidas, deve orar também pelo dom de interpretá-las, para depois poder explicar o que foi falado, se falarmos somente em línguas como aqueles que não compreendem poderão ficar na mesma comunhão que nós? E logo eles também não estarão sendo ajudados) – “Se alguém receber o dom de falar em línguas desconhecidas, deverá orar também pelo dom para interpretar essa língua, a fim de que possa depois explicar ao povo o que foi dito na língua desconhecida. Porque, se eu orar numa língua que não compreendo, meu espírito estará orando, mas a minha mente não saberá o que estou dizendo. Bem, então que devo fazer? Farei as duas coisas. Orarei em línguas desconhecidas e também no idioma comum que todos compreendem. Cantarei em línguas desconhecidas e também no idioma comum. Pois, se vocês louvarem e agradecerem a Deus só em espírito, como podem aqueles que não compreendem vocês estar louvando a Deus junto com vocês? Como eles se unirão a vocês para dar graças, quando não sabem o que vocês estão dizendo? Não há dúvida, que vocês estarão dando graças primorosamente, porém as outras pessoas presentes não estarão sendo ajudadas (edificadas)”.

(Aqui Paulo deixa bem claro a alegria que ele sente de falar em línguas desconhecidas, mas que em um culto público, ele tem o zelo (cuidado) de fazer com que todos compreendam a mensagem de Deus) – “Dou graças a Deus porque falo em línguas mais do que vocês todos. No entanto, no culto público eu prefiro falar cinco palavras que o povo possa compreender e ser auxiliado por elas a falar dez mil palavras falando em línguas num idioma desconhecido.”

(Paulo repreende á todos ali presente a respeito de entenderem bem deste assunto, pois tudo está registrado na Bíblia) – “Queridos irmãos, não sejam infantis na compreensão dessas coisas. Sejam criancinhas inocentes quando se trata de maquinar o mal, porém sejam adultos inteligentes na compreensão de assuntos dessa espécie. Pois está escrito na Lei:

(Nesta parte vemos que através do dom de falar em línguas, Deus fala para outros povos, outras nações e usa daqueles que nunca se quer estudaram determinados idiomas, mas isso também não significa que estas pessoas ouvirá os conselhos divino. O falar em línguas é um sinal para aqueles que não acreditam, já o dom de profecia é para aqueles que creem, e Paulo ainda cita um exemplo, dizendo que se uma pessoa que ainda não sabe muito a respeito das coisas de Deus vai á igreja e vê todo mundo falando em línguas estranhas, o que será que ela vai pensar? {Pronto estão todos loucos!} – Mas se está mesma pessoa for á igreja e ver o evangelho de Cristo sendo anunciado de forma clara, isto o fará compreender de que ele é um pecador. E esta pessoa vai julgar pelo que ouviu e entendeu da palavra que Deus revelou. E enquanto esta pessoa estiver ali ouvindo as revelações de Deus tudo o que estiver em oculto/secreto nos seus pensamentos será falado através da palavra de Deus e então ele vai entender/conhecer quem é Deus, se arrependerá e também vai adorar a Deus) – “Por meio de pessoas que falam em outras línguas eu falarei a este povo. Falarei por meio de lábios de estrangeiros, mas mesmo assim o meu povo não me ouvirá”, diz o Senhor. Assim, o falar em línguas não é um sinal para os que creem, mas sim um sinal para os descrentes. A profecia, por sua vez, é para os que creem, não para os descrentes. Assim, se uma pessoa ainda não é salva, ou alguém que não tem esses dons, vai à igreja e ouve todos vocês falando em outras línguas, não dirá que vocês estão loucos? Mas, se todos vocês profetizarem, anunciando a Palavra de Deus, e entrar um descrente, ou crente novo que não compreende essas coisas, isso o convencerá de que ele é um pecador, e ele será julgado pelo que ouvir. Enquanto ele ouve, seus pensamentos secretos serão postos a descoberto e ele caíra de joelhos e adorará a Deus, exclamando: “Deus realmente está no meio de vocês!”

(Observe que cada um é usado de uma forma especial na presença do Senhor e que tudo é para o crescimento espiritual da igreja, para a ajuda da igreja, Paulo orienta sobre a organização de falar em linguagens durante o culto para que o nome de Deus não fique escandalizado e para que não haja gritarias. É por isso que é comum ouvirmos os líderes\pastores\anciãos sempre exortando/corrigindo os irmãos nesta parte) – “Bem, meus irmãos, o que vamos dizer? Quando vocês se reúnem, alguém terá um salmo, outro ensinará, outro transmitirá alguma informação especial que Deus lhe deu (revelação), outro falará numa língua desconhecida, ou explicará o que está falando na língua desconhecida. Tudo deve ser feito para o crescimento espiritual (Para a edificação) da igreja. Se falarem em línguas desconhecidas, não mais do que dois ou três devem falar. E é preciso que fale um de cada vez, e que alguém esteja preparado para interpretar o que eles estão dizendo. Entretanto, se não estiver presente ninguém que possa interpretar, não devem falar em voz alta na igreja. Poderão falar silenciosamente para si mesmos e para Deus na língua desconhecida.”

(Nesta parte ainda continua a orientação a respeito de organização durante o culto, porém agora em relação às profecias, Paulo adverte que cada um deve respeitar a vez de falar do outro, esperando ter também a sua oportunidade, pois Deus não é um Deus de desordem, mas de Paz) – “Dois ou três podem profetizar, um de cada vez, se tiverem esse dom, enquanto todos os outros escutam e julgam cuidadosamente o que foi dito. Contudo, se enquanto alguém está profetizando, outro receber uma mensagem ou uma revelação do Senhor, então cale-se o primeiro e fique em silêncio. Dessa maneira podem falar todos quanto têm o dom de profecia, um depois do outro, e todos aprenderão e serão instruídos e encorajados. Lembrem-se que uma pessoa que tem o dom profecia para anunciar uma mensagem de Deus tem a capacidade de conter-se ou esperar a sua vez. Pois Deus não é um Deus de desordem, mas de paz.” (1Co 14:1,32).

(Paulo aqui é bem claro em dizer para buscarmos o dom da profecia e passarmos as mensagens de Deus com clareza e para não proibirem o dom de falar em línguas, mas que tudo seja feito durante o culto com DECÊNCIA E ORDEM!) – “Portanto, meus irmãos na fé, anseiem por ser profetas, a fim de que possam anunciar com clareza a mensagem de Deus; e não proíbam o falar em línguas. Entretanto, façam questão de que tudo seja feito com decência e ordem.” (1Co 14:39,40)

Deus Abençoe á Todos!

Anúncios