Entenda: O Velho Testamento fala de Deus e a promessa do filho, o Novo fala do filho e a promessa da vida eterna (Em espírito)!

A Bíblia é uma revelação progressiva, se você pular a primeira metade de qualquer livro e tentar terminá-lo, você vai ter dificuldade de entender seus personagens, o enredo e o final, da mesma forma, o Novo Testamento só pode ser completamente entendido quando é observado antes. No Velho Testamento vemos os seus personagens, leis, sistema de sacrifício, alianças e lindos testemunhos com as obras maravilhosas de Deus. Se apenas tivéssemos o Novo Testamento, iríamos ler os evangelhos sem saber por que os judeus estavam esperando pelo Messias (Um Rei Salvador), não entenderíamos por que esse Messias estava vindo, sem o VT não entenderíamos os costumes judaicos que são mencionados no Novo Testamento, não saberíamos das distorções que os fariseus tinham feito à lei de Deus. Nele aprendemos que precisamos confiar e obedecer a Deus, vemos que o nosso pecado tem consequências não só para nós mesmos, mas para aqueles ao nosso redor que amamos tanto; assim como o nosso bom comportamento tem recompensa para nós e para os que estão ao nosso redor também. O Novo Testamento e os Atos dos Apóstolos registram o cumprimento de muitas profecias que foram registradas centenas de anos antes no Velho Testamento.

O Velho Testamento é de muita utilidade para nossos dias atuais, muitas promessas de Deus, palavras para nosso crescimento. Jesus chamava de “escrituras”, “Examinai as escrituras porque julgais ter nelas o caminho da salvação.” (João 5:39) e se Jesus nos diz pra examinar as escrituras “Velho Testamento”, é por que nós o devemos usar…Avaliemos as palavras do apóstolo Paulo: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e proveitosa para ensinar, para repreender, para endireitar as coisas, para disciplinar em justiça.” (2 Timóteo 3:16). Não é só o Novo ou Velho Testamento, mais a Bíblia toda é de proveito para nós. O novo Testamento nada mais é do que o relato da vida de Jesus e do que aconteceria após Ele. As Escrituras do Velho Testamento foram aceitas por Cristo e pelos apóstolos como divinamente inspiradas. Jesus disse: “e a Escritura não pode ser anulada” (João 10:35). Jesus disse que não veio destruir a Lei e sim cumpri-la. (Mateus 5:17,19)

No antigo testamento as pessoas obedeciam aos mandamentos como uma LEI, claro que deviam fazê-lo, mas os fariseus alterando estas Leis, talvez fizesse com que muitos se desviassem da lei e adorassem ídolos (Imagens, etc..) provocando assim à ira de Deus. Então veio o Salvador, em João 1:14 “e o verbo se fez carne” (Verbo é a referência na Bíblia ao nome de Jesus) e que disse: “Eis que faço novas, todas as coisas” (Ap 21:5) – Ele fez com que as pessoas vissem um Deus misericordioso com seu povo, um Deus que é amor. O que não é mais válido no Velho Testamento é tudo o que mudou depois da vinda de Cristo!
(sacrifício de animais, algumas leis dadas por Moisés, etc…)

A lei dada por Moisés nunca serviu como um meio de salvação, ela em si não possuía poder para salvar, assim como o termômetro não tem poder para baixar a febre que ele registra (identificava-se o pecado, mas não chamava muitos ao arrependimento sincero). O Velho Testamento cita o sistema de sacrifícios de animais que Deus deu aos israelitas para cobrir seus pecados, isso na Bíblia é chamado de “Expiação”.

EXPIAÇÃO: Expiação é a tradução de uma palavra hebraica que significa a transferência dos pecados pela imposição das mãos sobre a cabeça de um bode vivo confessando todas as iniquidades dos filhos de Israel (Levítico 16:20). É o ritual para a transferência de todos os pecados do homem para Jesus, essa palavra significa a passagem do pecado para Jesus Cristo, fazendo com que os pecadores entrem em um relacionamento correto com Deus. No Antigo Testamento, a expiação era feita através da imposição das mãos sobre a cabeça do animal, assim os pecados daquele pecador passava para o animal e logo após sacrificava-se o animal. E no Novo Testamento também temos a “Expiação de Jesus Cristo na cruz”, através de Jesus e Sua morte na Cruz que se sacrificou por nós. JESUS veio para se sacrificar por nós e pagou na CRUZ por nossos pecados, para sermos salvos. Quando apóstolo Paulo fala que o Velho Testamento foi por Cristo abolido, foi no sentindo de derramar sangue de qualquer ser vivente! Pois Ele lavou o nosso sangue na CRUZ.

Os dois testamentos revelam que Deus é Santo, Misericordioso e Justo e tem que condenar o pecado, mas que Ele tem o desejo de trazer a Si mesmo a raça humana tão cheia de pecado através de perdão que só é possível através do sacrifício expiatório de Cristo como pagamento pelo pecado. Nos dois testamentos Deus Se revela a nós e mostra como devemos nos aproximar Dele através de Jesus Cristo, e nos dois testamentos acharemos tudo que precisamos para vida eterna e vida que agrada a Deus. Em substituição à lei do Velho Testamento, nós estamos sob a lei de Cristo, onde os dez mandamentos se resumiram em dois: “Jesus respondeu: Ame ao Senhor seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua mente e de sua alma. Esse é o primeiro e maior mandamento. E o segundo em importância é parecido: Ame o seu próximo como a si mesmo. Toda a Lei e os profetas depende desses dois mandamentos.” (Mateus 22:37-40). Se fizermos estas duas coisas, estaremos cumprindo tudo o que Cristo quer que façamos, “Porque este é o amor de Deus: que guardemos os seus mandamentos; e os seus mandamentos não são pesados” (I João 5:3)

Não vivemos hoje abaixo da Lei do Antigo Testamento, nem às ordenanças sobre sacrifícios, nem aos dez mandamentos. Isto significa que é permitido matar, adulterar, cobiçar, mentir, etc.? Não! A Palavra de Deus claramente proíbe tais comportamentos. Exemplo: Dentro das várias constituições do Brasil, era crime matar antes de 1988 e continua sendo crime matar hoje…Mas, se alguém matar hoje, será julgado pela constituição atual, não pelas anteriores. Da mesma forma, quem mata hoje será condenado pela Palavra de Cristo e não pelas Palavras reveladas a Moisés no monte Sinai. “Mas todo aquele que me rejeita e despreza a minha mensagem, será julgado no dia do juízo pelas verdades que eu tenho falado.” (João 12:48). Observe que no VT os dez mandamentos se tratam de 10 tipos de educação, avalie e tire suas conclusões “Honrar pai e mãe”, será que isso é válido hoje? Não matarás, não roubarás, isso é válido pra você hoje?… A lei moral continua valendo…

Entretanto, 9 dos Dez Mandamentos são repetidos no Novo Testamento (todos, exceto o mandamento para que se guarde o Sábado). No velho testamento as pessoas eram guiadas pelas Tábuas da Lei que foram dadas por Deus a Moisés, os mandamentos e pelos profetas. Porém há dois textos que muito confunde algumas pessoas: No Evangelho de (Mateus 5: 17-19), Jesus diz que Ele não veio para destruir a Lei ou os profetas, mas veio para cumprir, o outro texto está na segunda carta do apóstolo Paulo aos (Coríntios 3:14), dizendo que o Velho Testamento foi por Cristo abolido.

Como interpretar esse aparente conflito?

Jesus não veio destruir (passar por cima, ignorar) a Lei e nem os Profetas, durante o ministério de Jesus aqui na Terra já não existia profeta, mas a Lei ainda estava em vigor, porém Ele a cumpriu e com sua morte a Lei foi cravada com Ele na cruz! Com isso hoje não vivemos mais a Lei, pois ela foi morta juntamente com Cristo, pela GRAÇA (Misericórdia, Favor Imerecido) de Deus é que HOJE vivemos (Viver debaixo da Graça – É viver em Cristo, andar segundo a vontade de Deus, é viver em proteção e direção d’Ele, é como um filhote de águia que fica debaixo das asas de sua mãe protegido do perigo, do frio e dos inimigos, assim Deus protege os seus filhos). Jesus ao cumprir a Lei, deu a ela o REAL SENTIDO, que muitas vezes não era compreendido pelas pessoas daquele tempo e ao mesmo tempo ao instaurar a GRAÇA, liberta aqueles presos pela Lei. “Mas antes que chegasse essa fé, nós éramos prisioneiros da Lei, até que fosse revelado a fé que devia vir.” (Gálatas 3:23)

Aquela Lei foi dada especificamente ao povo de Israel, e nunca foi dada como uma Lei geral para governar os gentios (as outras nações). A maioria das pessoas hoje é descendente de outros povos, e não descendentes físicos de Israel. A lei dada no Sinai não foi dada a nós (gentios). Essa palavra não tem nada a ver com a palavra “gentil”, que significa generoso, amável, que deriva a palavra gentileza. A expressão “gentio” tem outro significado. Lá no Antigo Testamento vemos registrado que Deus escolheu um povo para ser o Seu povo, aqueles que representavam o Seu Nome e a quem Ele deu as Sagradas Escrituras. Esse povo é bastante conhecido como Hebreus/Israelitas e atualmente são chamados pelo nome de Judeus. Já os “gentios” são todas as pessoas que não são do povo Judeu (Eu sou um gentio e provavelmente você também seja!).

Qualquer pessoa que não seja um Judeu se enquadra como sendo parte do povo “gentio”, e o sacrifício expiatório de Jesus na cruz veio unir o mundo (Judeus e Gentios). Antes a Lei separava os judeus dos gentios, impunham-se aos judeus requisitos que não se aplicavam aos gentios, e os gentios incircuncisos (incircuncisos significa não consagrado ao Senhor, na linguagem atual é: Meninos ou homens de quem não se tirou a pele que envolve a extremidade do pênis – semelhante a uma operação de fimose), então os gentios estavam impedidos de participar plenamente com os judeus nas suas adorações á Deus. “Pedro disse: Vocês sabem muito bem que é contra as leis judaicas que eu entre na casa de um gentio. Mas Deus me mostrou numa visão que não devo chamar ninguém de impuro ou imundo.” (Atos 10:28.). E assim através da expiação de Cristo na cruz e através da graça de Deus, nós que não somos judeus também podemos ser salvos.

A Lei e os profetas duraram até João Batista e a partir de Jesus nos é ANUNCIADO O REINO DE DEUS. Jesus como bom judeu teria de cumprir a Lei e nós os (gentios) não vamos seguir o que era para os judeus, para nós, Paulo explica, esqueça-se das leis judaicas, esta abolido. Jesus veio cumprir o que o Velho Testamento falava Dele, logo assim alterando muitos costumes que os judeus tinham, como já citados acima, (leis ou ritos que usavam para a adoração a Deus), ou seja, depois de Jesus NÃO precisariam mais guardar “As luas novas, as festas, o casamento entre cunhados, etc).

Uma pergunta:
Você sacrifica algum animal hoje em dia para obter perdão dos seus pecados? 

Vejam que os Sacrifícios de animais faziam parte do Antigo Testamento, mas não pertencem ao serviço dos cristãos hoje! Com Moisés os judeus haviam buscado territórios/lugares geográficos, com Jesus, precisariam se aperfeiçoar, para que pudessem buscar o Reino de Deus. Teriam de agir de um modo muito DIFERENTE. Não poderiam mais, por exemplo, usar aquele lema antigo do “olho por olho…”. Ao invés de “odiar o seu inimigo”, deveriam “amá-los” e, até, “bendizer a quem os perseguisse” (Mateus 5:38,48)

A finalidade da “Lei de Moisés” foi a de conduzi-los até a chegada de Cristo. “Assim as leis judaicas eram nosso mestre e guia até que Cristo viesse para nos dar uma posição correta perante Deus por meio de nossa fé. Mas agora que já veio a fé, não precisamos mais daquelas leis para tomar conta de nós. Porque agora todos vocês são filhos de Deus por meio da fé em Jesus Cristo, e os que fomos batizados em união com Cristo somos revestidos por Ele. Já não somos mais judeus, nem gregos, nem escravos, nem livres, nem simplesmente homens ou mulheres, porém somos todos iguais; somos um em Cristo Jesus. (Gálatas 3:24,28)

Deus Abençoe á Todos!

TEXTOS QUE VOCÊ POSSA SE INTERESSAR TAMBÉM:

*** CLICK AQUI E ESCOLHA UM OUTRO TEMA PARA LER ***

Anúncios