A Bíblia como a conhecemos hoje, é divida em dois grandes grupos de livros: O Velho e o Novo Testamento. Para compreendermos o significado desses nomes, precisamos saber que a palavra “Testamento” quando utilizada para esses dois grupos de livros, significa “ALIANÇA” (Aliança simboliza acordo, tratado, contrato, pacto, concerto, união entre duas partes). E é utilizado para definir o pacto divino entre Deus e os homens, a palavra aliança é muito conhecida na Bíblia e aparece muitas vezes entre o Velho e Novo Testamento.

O Velho Testamento (Velha Aliança) descreve principalmente a aliança que Deus fez com seu povo (Povo de Israel) através da Lei, este período foi marcado pela lei (Olho por olho, dente por dente…). O VT ou AT tem como foco a preparação para a vinda de Jesus, relatando a história do homem desde a criação, até alguns anos antes do nascimento de Jesus, nele também vemos a indicação de Deus de um pacto ainda maior que alcançaria todas as nações através do Messias, o povo Judeu esperava ansioso o surgimento de um Salvador (o Messias). Aguardavam dia a dia o surgimento desta pessoa prometida por Deus. Esperavam porque esse Salvador fora prometido diversas vezes no Antigo Testamento. Esse Salvador esperado era chamado de “O Messias”. A palavra Messias em hebraico quer dizer “ungido”. É um título que significa que a pessoa era separada especialmente pelo Senhor para uma Obra especial. Jesus era esse Messias. O Ungido prometido por Deus.

“Eis que o SENHOR fez ouvir até às extremidades da terra estas palavras: Dizei à filha de Sião (Cidade): Eis que vem o teu Salvador; vem com ele a sua recompensa, e diante dele, o seu galardão (Prêmio/Recompensa).” (Is 62:11)

O Novo Testamento é inaugurado com a vinda do Messias, Jesus Cristo, nessa nova aliança vemos Cristo dando Sua vida para a salvação dos que creem (Tanto do povo de Israel quanto as pessoas de outras nações…os gentios – Eu e você) e assim inaugurando a igreja, que foi depois continuada pelos apóstolos. O Novo Testamento (Nova Aliança) foi escrito após a morte de Cristo, tendo como foco o plano de salvação do Messias através da Graça (Misericórdia de Deus, favor não merecido). Vemos ainda no Novo Testamento a indicação clara da segunda vinda de Jesus Cristo para selar plenamente a “aliança”, isso se dará através do fim dos tempos, do juízo final.

“assim também Cristo foi oferecido em sacrifício uma única vez, para tirar os pecados de muitos; e aparecerá segunda vez, não para tirar o pecado, mas para trazer salvação aos que o aguardam.” (Hebreus 9:28)

O Velho Testamento é constituído por 39 livros (vai de Gênesis a Malaquias) e o Novo Testamento é constituído por 27 livros (vai de Mateus a Apocalipse) – Dentro dos dois Testamentos temos algumas subdivisões importantes.

O antigo testamento é composto de três livros importantes para o judaísmo (povo escolhido de Deus na bíblia). O primeiro deles é a “Torá ou Pentateuco”, (A Torá é um termo hebraico que significa “ensinar” e Pentateuco vem do grego é chamado de “os cinco rolos”, ou seja, Torá ou Pentateuco são os cinco primeiros livros da bíblia cristã. Os judeus usam a palavra Torá para se referir a todo e qualquer tipo de ensino ou filosofia.

Os primeiros cinco livros da Bíblia Hebraica são considerados de autoria de Moisés e é fruto de toda a religião judaica, estes livros são: GÊNESIS – ÊXODO – LEVÍTICO – NÚMEROS – DEUTERONÔMIO.

O Novo Testamento: Estes livros foram escritos por apóstolos e geralmente em grego (língua da época) ou aramaico (língua da época comum em Israel). Posteriormente, vêm os livros dos profetas Judeus, conhecidos como “Neviim” que significa “Profetas” e “Kethuvim” que significa “os Escritos”, onde se encontram os reis. Todos estes livros são considerados sagrados para a religião judaica, berço do cristianismo.

Este Novo Testamento vem formar os conceitos do cristianismo trazendo uma nova interpretação às antigas escrituras. Ele afirma a vinda do Salvador que veio para fazer uma nova “aliança”, uma aliança que não seria quebrada, pois Deus havia cumprido seu prometido em mandar seu próprio verbo (Jesus) em carne para um sacrifício perfeito. No Velho Testamento temos uma profecia uma prefiguração/antecipação do que aconteceria, e no NT esta o acontecimento, aonde o Novo testamento vêm explicar as bases dos ensinamentos de Jesus, vem contar a história de Sua Vida, em outras palavras o Velho Testamento e mostra o início de tudo até Jesus e o Novo Testamento mostra que Jesus é o fim de tudo.

Ao compararmos o Velho e o Novo Testamento vemos observamos que o VT mostra o Sacrifício de cordeiros e o Novo mostra o sacrifício de Cristo. O VT mostra as profecias e o Novo suas confirmações. No VT os sacerdotes eram alguns homens que obtinham unção de sacerdotes e somente os levitas podiam ser sacerdotes e no serviço do templo havia somente levitas (homens da tribo de Levi…Levi era um dos 12 filhos de Israel).

Na aliança do NT, todos os homens e mulheres que se consagram são sacerdotes e o altar é o próprio coração do homem. As alianças do Antigo Testamento eram perfeitas por parte de Deus, mas imperfeitas por parte dos homens, pois eles sempre quebraram a aliança com Deus, distanciando-se de seus mandamentos.

Já a aliança do Novo Testamento, é perfeita porque o Verbo divino encarnou (tomou corpo humano) e Verbo é uma referência bíblica ao nome de Jesus e assim Deus fez aliança consigo mesmo como homem para que esta fosse definitivamente perfeita.

E a partir da aliança da Graça (Favor não merecido) de Deus, estão firmadas as alianças que ainda virão: Do Reino Milenar de Cristo (o Reino Milenar de Cristo nesta terra se trata de uma era futura, onde se cumprirá as promessas de Deus referente às alianças firmadas por Ele no decorrer da história bíblica é o cumprimento das Alianças Divinas, boa parte registrada no livro de Apocalipse), e também esta firmada a aliança da Eternidade no “Novo céu e na Nova Terra” que esta registrada em (Apocalipse 21 e 22).

Deus Abençoe á Todos!

TEXTOS QUE VOCÊ POSSA SE INTERESSAR TAMBÉM:

Anúncios