É comum ouvirmos a expressão: “Evangélico não gosta de católico!”
Ai logo vem aquela resposta, “Claro vocês idolatram imagens e Deus abomina isso!”

Após tantos comentários assim, resolvi explicar tal questão, porém contando a história dessa “expressão” que por sinal a princípio não fala de idolatria (Essa também é uma verdade), mas essa diferença entre católicos e evangélicos, esta nas escrituras!

BÍBLIA CATÓLICA

A diferença entre a Bíblia católica e a protestante está no Antigo Testamento, ou seja, o Novo Testamento é idêntico tanto para os católicos quanto para os evangélicos.

A diferença é quanto ao número de Livros. O Novo Testamento da Bíblia dos católicos e evangélicos tem 27 Livros, começando pelo Evangelho de Mateus e terminando no Livro do Apocalipse. Já no Antigo Testamento é que esta a diferença entre as Bíblias evangélica e católica. A Bíblia católica é composta por mais 7 Livros, livros estes que não são reconhecidos pelos Judeus (O povo escolhido por Deus na Bíblia).

Estes livros são: Tobias, Judite, I Macabeus, II Macabeus, Baruque, Sabedoria e Eclesiástico. Estes livros foram considerados pelos judeus da palestina como não sendo inspirados pelo Espírito Santo e por isto os evangélicos os rejeitam como parte da Bíblia, são conhecidos como livros apócrifos ou Pseudo-canônicos.

O que significa “Apócrifos”, também conhecidos como Livros Pseudo-canônicos, são os livros escritos por comunidades cristãs e pré-cristãs, nos quais os pastores e a primeira comunidade cristã não reconheceram a Pessoa e os ensinamentos de Jesus Cristo e, portanto, não foram incluídos no cânon bíblico.

O povo de Deus (Os Judeus), a quem os apócrifos teriam sido originalmente apresentados, recusou-os terminantemente, ou seja, não os reconheceu, não os aceitou. A comunidade judaica nunca mudou de opinião quanto a aceitar os livros apócrifos.

Estes 7 livros que constam na Bíblia católica foram considerados pelos judeus da palestina como não sendo inspirados pelo Espírito Santo e por isto os evangélicos os rejeitam como parte da Bíblia. Colabora ainda o fato destes livros não terem sido citados por nenhum autor do Novo Testamento. Primeiro, é preciso entender que a Bíblia foi originalmente escrita em hebraico e aramaico (antigo testamento) e grego (novo testamento). Posteriormente o AT foi traduzido para o grego. As Bíblias escritas em outros idiomas como inglês, espanhol, francês, alemão, português, etc, são versões do grego original. Desta forma, cada tradutor usou expressões diferentes em seu próprio idioma para representar aquilo que estava escrito em grego. As diferentes versões da Bíblia, normalmente não alteram o sentido original, por isto, tanto a tradução católica como a evangélica tem o mesmo princípio.

BÍBLIA EVANGÉLICA

A Bíblia evangélica usada no Brasil foi traduzida para o português por João Ferreira de Almeida, um português católico que se converteu ao protestantismo em 1642 e logo em seguida iniciou o trabalho de tradução. A versão de Almeida foi a primeira em língua portuguesa.

Isso não significa que essas diferenças entre a Bíblia católica e a Bíblia evangélica torna uma verdadeira e outra falsa, ambas tem o mesmo propósito que é apresentar a Salvação em Jesus Cristo, católicos e evangélicos se submetem à mesma Palavra. O critério de Salvação para um evangélico é o mesmo para um católico. Se os evangélicos insistem que é necessário entregar a vida a Jesus e obedecer à Palavra de Deus, a Bíblia católica não desmente isto, pelo contrário, ela confirma isto!

Portanto, a diferença entre evangélicos e católicos não é pelo que está na Bíblia e sim pelo que não está. Enquanto que os evangélicos têm sua fé fundamentada exclusivamente nas sagradas escrituras, os católicos baseiam-se também na tradição e nos dogmas da igreja, como: A assunção de Maria, a infalibilidade do papa, o purgatório, o culto aos mortos, culto aos santos, entre outros. Estes ensinamentos não são bíblicos e, portanto são alguns dos pilares que distanciam evangélicos de católicos.

Para os católicos, o Antigo Testamento é formado por 46 livros.

Para os evangélicos, o Antigo Testamento é formado por 39 livros – Além disso há trechos de capítulos de livros que constam da Bíblia protestante que foram removidos, como os capítulos 13 e 14 do livro de Daniel e os versículos 4 a 16 do capítulo 10 do livro de Ester, assim como os capítulos 11 a 16 do mesmo livro. Ao todo a Bíblia evangélica tem 66 livros.

Obs: Este texto não se trata de criticas á nenhuma religião, mas sim como uma base explicativa, devido a tantos questionamentos.

TEXTOS QUE VOCÊ POSSA SE INTERESSAR TAMBÉM:

Deus abençoe á todos!

Anúncios