Mais uma das comemorações inseridas em nossa cultura e que tem sua raiz no paganismo!

PORQUE UM CRISTÃO AUTÊNTICO NÃO DEVE COMEMORAR O NATAL?

– Na Bíblia Jesus pediu que fosse comemorada sua morte e não seu nascimento!

A Bíblia não diz que Jesus nasceu em (25 de Dezembro). E a Bíblia não manda celebrar o nascimento de Cristo. Não se sabe a data precisa do nascimento de Jesus, de acordo com o calendário Judaico Jesus nasceu entre Setembro ou Outubro. Os primeiros cristãos (Cristãos Primitivos) não celebravam Seu nascimento porque considerava a comemoração de aniversário um costume pagão.

“Ele tomou um cálice de vinho e, depois que deu graças, disse: “Tomem isto e partilhem entre vocês. Porque eu lhes digo que não beberei do fruto da videira outra vez até que venha o Reino de Deus”. A seguir ele pegou um pão; depois que deu graças partiu-o e o deu aos discípulos, dizendo: “Isto é o meu corpo, entregue por vocês. Comam dele em memória de mim”. Depois da ceia, Jesus tomou o cálice de vinho, dizendo: “Este cálice é a nova aliança do meu sangue, derramado em favor de vocês.” (Lc 22:17,20)

A solicitação de Jesus tem o propósito de nos fazer recordar o que consideramos ser o maior ato de amor jamais realizado por outro ser humano, ou seja, a entrega voluntária da vida do filho de Deus, em sacrifício, para redenção da humanidade.”(…) E o dia da morte é melhor que o dia do nascimento! É melhor estar num velório do que ir a uma festa, pois todos vão morrer um dia, e é bom pensar nisso enquanto ainda há tempo. A tristeza é melhor que a alegria porque o rosto triste melhora o coração. É verdade, o homem sábio está na casa onde há luto, mas o tolo só quer saber de se divertir. É melhor ser corrigido por um homem sábio do que ouvir a canção dos tolos! (Eclesiastes 7:1,5)

Naturalmente que para ‘morrer’ Jesus teria que nascer. Mas enquanto as nações pagãs promovem o nascimento, o cristianismo promove exatamente o contrário. Comemorar a morte parece até incoerente (Contraditória), mas para o homem ‘espiritual’ este entende perfeitamente o seu real significado. A data do dia 25 de Dezembro foi criada por Roma numa “ALIANÇA PAGÔ com o catolicismo no século IV (04).

Panteão e Baal“A data atual [25 de dezembro] foi fixada a fim de cristianizar grandes festas pagãs realizadas neste dia: A festa mitraica, que celebrava o “natalis invicti Solis” (“Nascimento do Vitorioso Sol”) – O que isso significa? Baal era o abominável deus dos cananeus, e seu nome significa “senhor”. Considerado o deus das montanhas, das tempestades e da chuva, ele simbolizava a plenitude da vida. Quando o Império Romano conquistou várias partes do mundo, essa divindade acabou entrando no “Panteão Romano” (O Panteão Romano ou Panteão de Agripa é o único edifício construído na época greco-romana. Desde que foi construído se manteve em uso: primeiro como templo dedicado a todos os deuses do panteão romano e, desde o século VII (07), como templo cristão. É famoso pela sua cúpula). – Ele ainda existe! – Os romanos procuravam “novas experiências espirituais na época”. No seu culto crianças e adolescentes eram sacrificados.

                                             Quanto ao Mitraísmo:

MITRA SOLMitra deus indo-iraniano, era muito apreciado no exército romano, onde apenas homens participavam em recintos fechados, grutas, muito comum dentro de Roma (Semelhante á Maçonaria, que faz reuniões secretas). Mitra era adorado como “deus-sol” e comemorado entre os dias 24 e 25 de dezembro, quando, segundo a lenda, teria nascido de uma enorme rocha. Como Baal e Mitra já eram conhecidos dos romanos, o imperador de Roma, estabeleceu, no ano de 273 D.C., o dia do nascimento do Sol em 25 de dezembro – “Natalis Solis Invicti” – que significa: “nascimento do Sol invencível”. Foi a partir desse ponto que todas as forças do paganismo se uniram para atacar frontalmente a igreja do Senhor Jesus, aliciando (Subornando), enganando e infiltrando as doutrinas para dentro da igreja.

O catolicismo romano foi um dos resultados disso. Mas, para que o plano desse certo apareceu Constantino (317-337 D.C.), imperador de Roma, com uma nova maneira de abordar os cristãos. Segundo uma lenda, antes da batalha contra Maxêncio, ele teve uma visão da cruz contra o sol, e uma mensagem que dizia, “com este sinal vencerás”. Constantino era adorador do Sol, porém ele se converteu às vésperas de sua morte, ocorrida em 12 de maio de 337, quando finalmente recebeu o batismo cristão. Ele retardou o ato de seu batismo até as vésperas de sua morte, porque cria que a ato do batismo lavava todos os pecados cometidos anteriormente. (Mas esta é outra história!) Assim que Constantino conseguiu a vitória, aparentemente, apoiou os cristãos e decretou uma Lei, Édito de Milão em 313, dando liberdade de culto aos cristãos e trocando, dessa forma, a perseguição pela tolerância tão desejada. Mas também “estava resolvido a recompensar a religião de seu novo povo de maneira digna de um Imperador Romano”.

Privilégios e grandes somas de dinheiro foram doados às igrejas de todas as municipalidades. Ele “legalizou” o cristianismo perante o mundo pagão, e os cristãos tiveram direito à mesma ISENÇÃO FISCAL, logo então não precisavam mais pagar impostos, assim como era concedido aos de outras religiões. Como adorador do Sol, não resta dúvida da sua influência: Ele fez do dia 25 de Dezembro uma festa cristã, para que se celebrasse o nascimento de Cristo. Ele fez da festa de Mitra, Baal e outros deuses, a festa do nascimento de Cristo. A comemoração do Natal em 25 de Dezembro não foi aceita por todas as igrejas cristãs, justamente por identificar que a festa tinha uma ligação pagã do solstício. “Acaso há notícia que alguma nação tenha trocado os seus deuses? E eles, na realidade, nem sequer são deuses! Contudo, o meu povo trocou a minha Glória por um punhado de deuses nulos e inúteis.” (Jeremias 2:11)

Infelizmente o maior inimigo do ser humano é a sua ignorância. A ignorância tem cegado o entendimento, a lucidez da mente. “Eles estão com o entendimento mergulhado nas trevas e separados da vida de Deus por causa da ignorância em que vivem, devido ao embrutecimento do seu coração.” (Efésios 4:18). (Embrutecer significa bruto, estúpido)

Deus declara com muita rigidez em sua Palavra as seguintes advertências da mente cauterizada, pois hoje vivemos “Na era do…”Isso não tem nada a ver”, e é comum vermos muitas mentes “cauterizadas” – (Que significa mente morta, fechada para o pecado), e a Bíblia relata que nos finais dos tempos será tão comum fazer o que o inimigo quer, que nem mesmo a CONSCIÊNCIA os incomodará. “Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão (Abandonaram) alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios; Pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo “cauterizada” a sua própria consciência.” (1 Timóteo 4: 1,2)

Portanto o natal é uma festa PAGÃ (Pagão, são pessoas que pertencem a alguma denominação que idolatram outros deuses!) e no caso do natal atual não estão comemorando o nascimento de Cristo, mas sim do deus Mitra, estão celebrando o dia do nascimento do sol! Cada item utilizado na comemoração do natal tem um significado, não tão agradável assim (Papai Noel, Guirlandas, Árvore de Natal). “Vocês acham que, vendo isso, eu ainda deveria perdoar? Seus filhos me abandonaram e adoraram ídolos que não são deuses…” (Jr 5:7)

Vale ressaltar que descobrir a verdade machuca, principalmente quando observamos algo que parece ser tão singelo aos nossos olhos! “Deus punirá o pecado em qualquer situação. Ele castigará os pagãos quando pecarem, embora eles nunca tenham ouvido a respeito da Lei; E Deus castigará aqueles que pecarem sob a Lei; pela Lei eles serão julgados. Porque não são aqueles que ouvem a Lei que são justos aos olhos de Deus; mas os que obedecem á Lei, estes são considerados justos.” (Romanos 2:12 e 13) Pensamos…Jesus teve mais de 30 anos para anunciar ou comemorar seu aniversário, mas sabemos que Ele não deu importância para isso.

Para eles Jesus Cristo é o verdadeiro deus “Sol Invicto”. BOM! ANTES QUE VOCÊ PENSE QUE É INVENÇÃO DA MINHA PARTE, ESTA HISTÓRIA E QUE PENSE QUE ESTOU BLASFEMANDO, segue o link de um vídeo onde um padre da igreja católica afirma e explica claramente sobre o que foi citado acima!

O dia do nascimento de Jesus é o dia em que você entrega seu coração para Ele, é o dia que Ele nasce em seu coração!

ORIGENS DOS SÍMBOLOS NATALINOS

O PAPAI NOEL: Dentre todos os símbolos, este é o que aparentemente não tem ligação com o paganismo das civilizações antigas. A sua criação baseia-se nas lendas sobre Nicolau, um santo do séc. III a IV (03 e 04) da era cristã. bdf787b3a1d9403fd7a8c9081aabb1e7

São Nicolau Taumaturgo foi uma pessoa de carne e osso – um arcebispo turco\bispo católico. Ele costumava ajudar pessoas pobres da cidade de Mira colocando moedas de ouro nas chaminés de suas casas durante a época de Natal. Mais tarde, diversos milagres foram atribuídos á ele. Fazendo-o por se tornar um santo, razão pela qual foi escolhido para dar origem à figura de Papai Noel. Sua imagem como símbolo natalino teve origem na Alemanha, no século XIX devido à influência da Coca-Cola, que na época lançou um comercial do bom velhinho com as vestes vermelhas, a imagem se manteve reforçada por meio da mídia. Portanto ele é considerado um santo na igreja católica!

Outra lenda conta que ele é um Gnomo: O que é Gnomo? O gnomo de acordo com o “dicionário Aurélio” é um demônio da floresta, bochechudo e de barba branca. É um ser gerado através da natureza, e também podem ser chamados de “encantados”. Os gnomos surgiram na mitologia pagã, também chamado de bruxarias, e influenciou diversos países, como a Escandinávia. Na mitologia eles estão ligados a todos os elementos da terra, como água, areia, céu, e também estão presentes no zodíaco, representando alguns signos. Os gnomos são regidos por um rei chamado Ghob, que é chamado durante os rituais. Com as histórias e desenhos, os gnomos acabaram sendo estereotipados como um ser bem pequeno, um anão. Geralmente, além da baixa estatura, eles também são idosos, com barbas brancas e vivem em locais escondidos.

ÁRVORE DE NATAL, SEMÍRAMES E BACOÁRVORE DE NATAL: “Pois os costumes dos povos são vaidade; corta-se do bosque um madeiro e se lavra com machado pelas mãos do artífice. Com prata e com ouro o enfeitam, com pregos e com martelos o firmam, para que não se mova.” (Jeremias 10:3,4). Civilizações antigas que habitaram os continentes europeu e asiático no terceiro milênio antes de Cristo já consideravam as árvores como um símbolo divino. Eles as cultuavam e realizavam festivais em seu favor. Essas crenças ligavam as árvores a entidades mitológicas. Sua projeção no sentido vertical como as raízes fincadas no solo, marcava a simbólica aliança entre os céus e a mãe terra. Na Assíria a deusa Semíramis havia feito uma promessa aos assírios, de que quem montasse uma árvore com enfeites e presentes em casa no dia do nascimento dela, ela iria abençoar aquela casa para sempre. Na Roma antiga, os Romanos penduravam máscaras do deus Baco (Baco era o deus do vinho, chamadas bacanais e “Bacanais” quer dizer orgia com muita desordem e tumulto) em pinheiros para comemorar uma festa chamada de “Saturnália“, que coincidia com o nosso Natal.

NINRODES E TOTEMNas vésperas do solstício de inverno, os povos pagãos da região dos países bálticos cortavam pinheiros, levavam para seus lares e os enfeitavam de forma muito semelhante ao que faz nas atuais árvores de Natal. Tinha também quem evocava “Ninrodes” um mortal que gostava de orgias, inclusive tinha relações sexuais com sua própria mãe (Semíramis). Depois de sua morte prematura, sua “mãe-esposa” espalhou a doutrina maligna da sobrevivência de Ninrode como um ente espiritual. Ela alegava que um grande pinheiro havia crescido da noite para o dia, de um pedaço de árvore morta, que simbolizava o desabrochar da morte de Ninrode para uma nova vida. A árvore foi plantada em seu túmulo por sua mãe a pedido do próprio Ninrodes. que era adepto do “Totem” uma crença de que espíritos habitavam nas árvores. O nome Ninrode, em hebraico, deriva de “Marad” que significa “ele se rebelou, rebelde”.

No início do século XVIII (18), o monge Beneditino São Bonifácio tentou acabar com essa crença pagã que havia na Turíngia, lugar para onde foi como missionário, então com um machado cortou um pinheiro. Como não conseguiu eliminar esta crença entre os povos, ele decidiu associar o formato triangular do pinheiro à Santíssima Trindade e suas folhas resistentes e perenes à eternidade de Jesus.

No ocultismo oriental os espíritos são invocados por meio de uma árvore. De acordo com a enciclopédia Barsa, a árvore de natal é de origem germânica, onde adorava-se uma árvore em homenagem ao Deus menino.

“Eles construíram altares idólatras, estátuas e imagens em cada monte e debaixo de cada árvore frondosa. Por toda parte havia prostitutos cultuais nos lugares pagãos de adoração e o povo de Judá ficou corrompido com as práticas detestáveis das nações que adoravam deuses falsos, nações que o Senhor tinha expulsado de diante do seu povo. (I Reis 14:23,24) – (Prostitutos cultuais, está relacionado à idolatria – A Bíblia sempre se refere á idolatria como prostituição, traição, infidelidade)


Guirlanda e deusa Viking FriggaGUIRLANDA DE NATAL: 
É uma coroa de folhas e/ou flores, utilizada para honrar deuses do paganismo. Em todas as culturas, o ato de pendurar a guirlanda na porta é um sinal de legalidade (autorização) para movimentação espiritual. Esse adorno é um símbolo memorial de consagração, utilizado como oferenda, enfeite funeral, adoração ao mundo vegetal, homenagem a vítimas sacrificadas aos deuses, chamada de “adorno de chamamento” (Adorno de chamamento: É porta de entrada de deuses. Razão pela qual, geralmente, é colocada nas portas de entrada). Divindades pagãs utilizavam a guirlanda (ou coroa) em honra a si mesmo (Os deuses Osíris, Osis, Isva, Dionísio, Júpiter, Semíramis, Ninrote, etc) Mais tarde, foi inventado que as ervas utilizadas na formação das guirlandas, protegiam as casas contra bruxas, o que não era muito lógico, uma vez que as próprias bruxas são adeptas aos tais produtos. Em algumas culturas, a coroa ou guirlanda de visco tem significado sexual e está ligado à deusa Viking Frigga, deusa do amor, da fertilidade e da união. O que podia significar que as casas marcadas com guirlandas estavam abertas a “orgias sexuais” (Orgia: Realização de ato sexual entre 5 ou mais indivíduos). As guirlandas, são símbolos da celebração memorial aos deuses, significam um adorno de chamamento e legalidade da entrada de deuses. Então você está chamando e autorizando a entrada destes deuses na sua casa!

A Bíblia nunca anunciou que Jesus pediu guirlandas, ou que tenha recebido guirlandas no seu nascimento, porque em Israel já era sabido que fazia parte de um ritual pagão, (Ela é uma analogia e referência a deuses e rituais pagãos). A única citação que a Bíblia Cristã faz sobre coroas de material “vegetal” (ramos, folhas, flores, galhos) é com referência aos romanos e judeus em relação a Jesus. Ela foi a coroa feita na crucificação de Jesus, que simbolizou o escárnio (zombaria, menosprezo, desacato) sobre Ele. Nenhuma outra coroa desse tipo é citada\utilizada na Bíblia. Na Alemanha e Escandinávia as pessoas recolhiam folhas de pinheiro em pleno inverno porque eram as únicas que permaneciam verdes. Com elas, preparavam uma guirlanda, que refletia a esperança do retorno do Sol, depois da escuridão do inverno. O formato circular simbolizava o ciclo anual das estações do ano. E velas eram colocadas ao redor, cada uma guardando a promessa de luz e de renovação da vida. Na Escandinávia, mesmo em tempos pré-cristãos, era costume dispor velas em um círculo e acendê-las, as preces eram dirigidas ao deus da luz e pediam que ele fizesse girar a “roda da terra” de volta em direção ao Sol, para que os dias voltassem e a longa noite fosse embora. Dizia a antiga lenda que se as pessoas passassem sob ela atrairá sorte para si. E como é de origem pagã, ela trás os costumes pagãos de adornar (Enfeitar) lugares de adoração para a festividade que se celebrava no mesmo tempo do Natal.

VELAS NATALAS QUATRO VELAS NATALINAS ACESAS: Assim como muitas outras tradições natalinas as velas são de origem pagã. Nas igrejas que tem na sua doutrina comemorar á risca o natal, acendem uma vela em cada domingo durante as quatro semanas que precedem o Natal. As velas acendidas faz renascer o ritual dos cultos ao deus sol, sua origem esta relacionada aos tempos anteriores a Cristo, aos frios e tenebrosos invernos do norte da Europa, quando dentro das moradias se acendiam velas ao “deus sol”, pedindo o retorno de sua luz e de seu calor, e ao seu redor colocavam-se folhas verdes, chamando de volta a primavera.


presepio-natalO PRESÉPIO:
Esta representação foi criada por São Francisco de Assis em 1223 que, em companhia de  Frei Leão e com a ajuda de Giovanni Vellina, montou em uma gruta da floresta na região de Greccio, Itália, a encenação do nascimento de Jesus. Na época já havia 16 anos que a Igreja tinha proibido a realização de dramas litúrgicos nas Igrejas, mas São Francisco pediu a dispensa da proibição. O povo foi convidado para a missa e ao chegarem à gruta encontraram a cena do nascimento vivenciada por pastores e animais. São Francisco morreu dois anos após, mas os Frades Franciscanos continuaram a representação do presépio utilizando imagens. Sabe-se que imagens construídas por mãos humanas, nos traz em mente um incentivo à idolatria, Jesus não nos mandou fazer isso! “Destruam por completo todos os altares nas altas montanhas, no alto dos morros e debaixo de árvores frondosas, nos quais as nações que vocês estão expulsando adoram seus deuses. Derrubem os seus altares, despedacem as suas colunas (monumentos) e queimem os seus postes-ídolos; despedacem as imagens esculpidas dos seus deuses. Não deixem nenhum rastro dessas coisas!.” (Dt 12:2,3). Não há nenhuma ordenança Bíblica para a realização de presépios!

troca de presentes natalinos

TROCA DE PRESENTES À MEIA NOITE: É mais uma perpetuação do culto a Tamuz, onde as oferendas (presentes) a ele eram colocadas por seus súditos aos pés da tal renascida árvore. E ainda hoje, onde são colocados os presentes de natal? Aos pés da árvore, nada mudou…Na mitologia Romana era a festa da colheita, todos vinham para a rua e traziam seus produtos e havia uma troca de presentes entre os camponeses. Na mitologia significa eternizar o pacto com os “deuses”. Este é o mês em que a obra de Deus mais fica escandalizada. Aparentemente as pessoas estão tão ocupadas trocando presentes natalinos que não se lembram de Cristo nem de Sua obra, algumas em sabe por que Cristo teve que nascer, morrer e ressuscitar!

ceia de natal

 

CEIA DE NATAL: Um convite à glutonaria nas festas pagãs ao deus-sol o banquete era servido à meia-noite. (Glutonaria é comer em excesso, gula!) E o que vemos por ai? Mesas cheias e pessoas vazias!

 

 

Na época do Natal, quando muitas pessoas mostram uma religião superficial e falam sobre um Jesus desconhecido para elas, nós devemos lembrar que é possível ser só cristãos, seguidores de Jesus. Não devemos ensinar ou defender doutrinas de homens. Temos que simplesmente seguir a Jesus e encorajar outros a fazerem o mesmo. Que possamos adorar a Cristo de acordo com a vontade Dele!

Portanto a Bíblia não revela a data do nascimento de Cristo, nem mesmo o número de magos que o visitaram em Belém. As Escrituras não autorizam uma comemoração especial na igreja, nem um dia santo para comemorar o nascimento de Jesus. Evidentemente também a Bíblia não dá aprovação ao materialismo (Comércio) nessa época do ano. O natal de Jesus não tem nenhum sentido profético, pois na verdade todas as profecias que apontavam para sua primeira vinda a terra já se cumpriram. Agora nossa atenção deve se voltar para sua Segunda vinda!

Jesus nasceu, por um motivo muito bom. Ele veio para salvar-nos do pecado “Que deu a sua vida em resgate por toda a humanidade” (1 Ti 2:6).  Sua grande vitória veio, não com seu nascimento, mas com sua morte e ressurreição. Esta é a vitória que faz nosso Redentor ser digno de toda honra e adoração.

Não podemos nos contentar com as crenças tradicionais e doutrinas humanas, idealizadas á sua própria maneira. Antes, Devemos examinar as Escrituras “Entretanto o povo de Bereia tinha a mente mais aberta do que o de Tessalônica, de modo que ouviram com mais interesse a mensagem. E examinaram dia a dia as Escrituras, para conferir  as declarações de Paulo e Silas, a fim de ver se tudo o que diziam era verdade.” (At 17:11). Temos que aceitar o que é certo e rejeitar o que é errado “Mas ponham à prova tudo e fiquem com o que é bom. Afastem-se de toda espécie de mal.” (1 Tess 5:21,22). Temos que estar certos de que Jesus veio a esta Terra uma vez, e que Ele voltará!

Portanto, tal festa é uma tradição que NÃO se fundamenta na Palavra de Deus, mas em tradições e ensino dos homens!

Quando se trata de adoração para outros deuses, logo se caracteriza como idolatria!

“Vigiem! Que a minha vinda repentina não apanhe vocês desprevenidos e eu não encontre vocês vivendo á toa, em festas e bebedeiras…” (Lc 21:34)

Deus Abençoe á Todos!

TEXTOS QUE VOCÊ POSSA SE INTERESSAR TAMBÉM:

OBS: Temos respeito por quem não segue a mesma doutrina que os evangélicos, esta matéria se trata de uma exortação (ensinamento), é totalmente baseada na Bíblia e na história da cultura do mundo e tem como finalidade explicar para muitos que tem dúvidas sobre as diferenças de comemoração por ambas as crenças!!!

Anúncios