A Bíblia foi escrita originalmente em aramaico, hebraico e grego. Os materiais mais usados foram o papiro e o pergaminho, que na época eram bastantes populares, sendo eles escritos por cerca de 40 autores em aproximadamente 1600 anos. 

A Bíblia contém 3.566.480 letras. Existem cerca de 6,912 idiomas em todo o mundo, e a Bíblia já foi publicada em 2,539 diferentes idiomas.

ADLI MAKAMLARA 2003 YILINDA ULASTIRILAN VE 3-4 HAFTA ONCE ETNOGRAFYA MUZESI'NE TESLIM EDILEN EL YAZMASI INCIL'IN KULTUREL VARLIK OLARAK GORULUP MUZE ENVANTERINE KAYDEDILDIGI, TARIHI INCILIN INCELENMESINE ILISKIN CALISMALARIN SURDUGU BELIRTILDI. (ANADOLU AJANSI - MUAMMER TAN) (20120223)

Bíblia escrita em Aramaico (1500 – 2000 anos) – Encontrado na Turquia

Uma dica: Para quem tem interesse em ler a Bíblia, lendo 4 capítulos por dia, ao final de 1 ano você concluirá a leitura, vale a pena começar!

DIFERENÇAS:

biblia hebraico e grego diferenças

1 – ESCRITA ORIGINAL DA BÍBLIA: VELHO TESTAMENTO

Durante os mil anos de sua composição, quase todo o Velho Testamento foi escrito em Hebraico. Há alguns capítulos nas profecias de Daniel e Esdras e um versículo em Jeremias foram escritas em Aramaico

1.1 – ORIGEM DA LÍNGUA HEBRAICA

O Hebraico (Ivrit עברית) é uma língua semítica pertencente à família das línguas afro-asiáticas. A Torá, que os crentes judeus ortodoxos consideram ter sido escrita na época de Moisés, foi redigida no hebraico dito “clássico”.

Embora hoje em dia seja uma escrita impronunciável, portanto indecifrável, devido à não-existência de vogais no alfabeto hebraico clássico, os judeus o chamam de Lashon haKodesh (“A Língua Sagrada” לשון הקודש).

Por volta da primeira destruição de Jerusalém pelos Babilónios em 586 a.C., o hebraico clássico foi substituído no uso diário pelo aramaico, tornando-se primariamente uma língua franca regional, tanto usada na liturgia (o conjunto dos elementos e práticas do culto religioso), no estudo do Mishná (parte do Talmude, o livro sagrado dos judeus) como também no comércio.

O Hebraico renasceu como língua falada no final do século XIX / começo do século XX como o hebraico moderno, adaptando alguns elementos do árabe, ladino, Jiddisch, e outras línguas que acompanharam a Diáspora Judaica como língua falada pela maioria dos habitantes do Estado de Israel.

2 – ESCRITA ORIGINAL DA BÍBLIA: NOVO TESTAMENTO

O Novo Testamento, no entanto, foi escrito em Grego Koiné (Koiné: grego antigo falado na Ática, significa “dialeto comum”, sentenças simples e curtas) pelos judeus na língua judaica-grega. Todos os livros do Novo Testamento (Evangelhos, Atos dos Apóstolos, Epístolas, e Apocalipse), à exceção do Evangelho de S. Mateus (escrito em aramaico), foram redigidos primeiramente em grego. Algumas palavras em Aramaico foram ainda utilizados pelos autores dos Evangelhos do Novo Testamento.

3 – TRADUÇÃO DO VELHO TESTAMENTO: DO HEBRAICO PARA O GREGO

Por volta de 300 a.C foi feita a tradução do Velho Testamento, do hebraico para o Grego Koiné, e foi concluída por volta de 200 a.C. Esta tradução grega do Velho Testamento, é chamada de Septuaginta, foi amplamente aceito e usada em muitas sinagogas.

O grego foi escrito e usado durante o período da igreja primitiva para a comunicação entre as pessoas que cresceram em diferentes áreas do mundo e cujas línguas nativas foram bastante diferentes. Basicamente, era como o inglês nos dias atuais, servia de meio de comunicação para as pessoas de todo o mundo dominado pelos romanos. E assim foi se espalhando o Cristianismo!

A Septuaginta foi usada extensamente pelos judeus de língua grega antes e durante o tempo de Jesus Cristo e seus apóstolos. Muitos dos judeus e dos prosélitos reunidos em Jerusalém no dia de Pentecostes de 33 EC eram do distrito da Ásia, do Egito, da Líbia, de Roma e de Creta — regiões em que se falava grego. Sem dúvida, eles costumavam ler a Septuaginta. (Atos 2:9-11)

4 – TRADUÇÃO DA BÍBLIA: DO HEBRAICO PARA O LATIM

amy-allcock-gutenberg-bible
Bíblia de Gutenberg

No ano 382 D.C. Jeronimo de Strídon foi elegido pelo Bispo de Roma ‘Dâmasio I’ para fazer uma tradução “única” da Bíblia em latim, a partir das línguas originais. Jeronimo estudou hebraico e se dedicou 20 anos de estudos da sua vida para esta tradução, examinando cuidadosamente todos os manuscritos que conseguiu localizar juntamente com os mais conceituados rabinos judeus. Sua tradução, que veio a ser conhecida como Vulgata (da palavra latina para “comum, acessível, popular”). Dos livros deuterocanônicos, que não constam na Bíblia Hebraica, traduziu apenas Tobias e Judite.

O trabalho da primeira Bíblia começou em 23 de fevereiro de 1455 e demorou 5 anos. Foi o primeiro livro a ser “impresso” no mundo! Atualmente, existem cerca de 60 Bíblias de Gutenberg espalhadas pelo mundo. 12 delas estão impressas em pergaminho, e 48 em papel.

A Vulgata tornou-se a tradução latina em uso da Igreja Latina. Após o Concílio Vaticano II a Vulgata passou por uma revisão chamada Neovulgata. O trabalho de Jeronimo não foi imediatamente aceito, mas se tornou o texto oficial do cristianismo no ocidente e até hoje aceita como referência. A Bíblia da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) e os textos litúrgicos se baseiam nesta última revisão da Vulgata.

antioquia_Cristaos-turquiaEmbora esta versão da Bíblia Vulgata, seja a principal versão majoritária utilizada pela Igreja Católica Romana (ICAR), porém existe outra versão chamada Peshitta, guardada por um ramo do Cristianismo que tinha se estabelecido em Antioquia, na Síria. Sua versão da Bíblia supõe-se ter sido levada a Malabar, na Índia, com o Cristianismo no primeiro século EC. Para este lugar, conforme a tradição, dirigiu-se Mar Thoma (São Tomé), um dos doze apóstolos de Cristo. […]

Antioquia (Atual Antakya, Turquia) foi o lugar onde os Cristãos começaram fazer esforços para extender o evangelho aos não-judeus. E também é a cidade que pela primeira vez os seguidores de Cristos foram chamados de “Cristãos” – At 11:26.

No próximo capítulo vou falar sobre quem foram as pessoas que escreveram os Livros da Bíblia!

Deus abençoe!

Anúncios