Imagem

O Rebatismo é Bíblico?

Porque algumas igrejas “Rebatizam” nas águas?

A palavra BATISMO vem do grego “baptizo” e significa “imergir ou mergulhar”. (Existem denominações que não o fazem dessa forma!), algumas usam a forma de ASPERSÃO (borrifamento) que é a prática de chuviscar água em gotas sobre a pessoa, usado na Igreja Católica / AFUSÃO (derramamento) que é a prática de jogar água sobre a pessoa, usado na Igreja Tradicional.

Há ainda igrejas que só reconhecem o batismo feito em rios, e a pessoa que desejar ser batizado tem que ter idade acima de 18 anos, este é o caso da igreja Deus é Amor. Porém na Bíblia somente encontramos João Batista dizendo que ele batizava com água para remissão dos pecados, vemos também a passagem de Filipe e eunuco que nos conta assim, “Enquanto viajavam, chegaram a um lugar onde havia água, e o eunuco disse: “Veja, aqui tem água! Por que eu não posso ser batizado?” “O senhor pode”, respondeu Filipe, “se o senhor crê de todo o seu coração”. E o eunuco respondeu: “Eu creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus”. Ele parou o carro, os dois desceram para dentro da água, e Filipe o batizou.” (At 8:36,38) – Logo é notório que o importante é a ÁGUA e não o local! Pois o eunuco não diz que ali tem um rio, ele apenas diz que “há água”, o que nos faz crer que poderia ser um rio, ou um tanque, ou um lago. Além do que Jesus não disse em nenhum momento, sejam batizados em água corrente.

Então muitos se perguntam se os católicos quando viram evangélicos se rebatizam?
NÃO! A igreja Católica Romana, geralmente batiza crianças e não as batiza por imersão, logo as igrejas do segmento evangélico entendem que estes não foram batizados segundo as orientações da Bíblia! Então neste caso a pessoa não esta se “rebatizando”, mas “batizando“, pois quando foi batizada ainda bebê, ela não tinha consciência do certo e do errado. Não sabia o que era o arrependimento!

Já a prática do rebatismo, é feito por algumas igrejas, quer seja pelo não reconhecimento do batismo praticado pelas outras denominações e outras entendem que seus próprios membros podem se rebatizar quantas vezes desejar. O exemplo da igreja Adventista do 7º dia! Para a Adventista que aceita o rebatismo inúmeras vezes, funciona assim: O batismo é símbolo de morte e ressurreição e quando uma pessoa se batiza sabemos que ela nasce para uma vida com Cristo e morre para o mundo, mas passa o tempo e a pessoa batizada volta a pecar, sai da igreja e volta para o “mundo”, então para eles a pessoa morre “espiritualmente”, porém se um dia o ex-membro da igreja se arrepender dos seus maus caminhos, e desejar se reconciliar com Cristo, então para a Adventista esta pessoa é autorizada a se batizar novamente. E se ela sair de novo e quiser voltar é só se batizar de novo e assim sucessivamente. E para quem vem de outra denominação e deseja passar a fazer parte da Adventista é só se rebatizar, porém fica á critério da pessoa. Simplificando: O rebatismo, na Adventista a pessoa pode batizar depois sair da igreja e quando voltar batiza de novo, e se pecar novamente batiza de novo, e de novo, e de novo…

A igreja Congregação Cristã no Brasil também tem á prática de “rebatizar”, mas sua visão é diferente das demais, esta não se segue a mesma doutrina da Adventista, pois não fazem o rebatismo devido ao fato da pessoa, pecar e se arrepender e pecar e se arrepender de novo e de novo… Para a Congregação Cristã no Brasil o batismo é “UM SÓ”! A doutrina de número 6 da Congregação Cristã na contra capa do hinário 5 diz: “Nós cremos no batismo na água, “COM UMA SÓ IMERSÃO”, em Nome de Jesus Cristo (Atos 2:38) e em Nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.” (Mateus 28: 18,19)

Ai você pergunta, mas se para a CCB o batismo é “um só”, então porque ela rebatiza membros que migram de outras denominações, mesmo que estes tenham se batizado por imersão? 

 EXISTE ALGUMA BASE BÍBLICA PARA REALIZAR O REBATISMO?

Muitas pessoas questionam a prática de realizar o “rebatismo”. Alegam eles que esta prática é uma “invenção”, para a qual não existe apoio bíblico.

Será que a Bíblia mostra alguma base para a realização de um “rebatismo”? Ou seria esta uma mera “invenção”?

No livro de Atos dos Apóstolos, temos algumas importantes referências que nos instruem á um exemplo em que o rebatismo foi necessário!

“Enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo viajava pela regiões mais altas da província da Ásia e chegou a Éfeso, onde encontrou diversos discípulos. Vocês receberam o Espírito Santo quando creram?”, perguntou-lhes Paulo. “Não”, responderam, “nós nem sequer sabemos que existe o Espírito Santo”. “Neste caso, que batismo vocês receberam?”, perguntou ele. “O batismo de João Batista”, disseram eles. Então Paulo mostrou-lhes que o batismo de João era um batismo de arrependimento, e também disse que eles deviam prosseguir e crer em Jesus, aquele que João disse que viria depois dele. Logo que eles ouviram isso, FORAM BATIZADOS NO NOME DO SENHOR JESUS. E depois, quando Paulo impôs as mãos sobre a cabeça deles, o Espírito Santo veio sobre eles, e começaram a falar em outras línguas e a profetizar. Eram ao todo uns DOZE (12) homens. (Atos 19:1,6) – Neste relato vemos o “REBATISMO” sendo realizado em pessoas que já tinham sido batizadas por imersão, pois haviam se batizado no batismo de João!

Vejam que Paulo achou estranho, e indagou se eles já haviam sido batizados. E sua resposta afirma que sim, pois eles haviam sido batizados pelo próprio João Batista. É inegável que esta passagem bíblica trate de um rebatismo, Paulo batizou NOVAMENTE aqueles homens, mesmo sabendo que eles já haviam sido batizados nas águas por João. O rebatismo realizado pelo próprio apóstolo Paulo, o que dá um peso bem maior, uma vez que este apóstolo sabia perfeitamente bem que o batismo autêntico é aquele que transforma a pessoa em uma nova criatura.

Qual a necessidade aqui destas pessoas terem se rebatizado, uma vez que elas já estavam batizadas?

Paulo lhes explica rapidamente a grandeza da Obra que Jesus operou, mostrando que João Batista apenas preparou o caminho para a chegada do Messias, e que o batismo que o profeta do deserto realizava não estava completo para a nova experiência cristã. Aquelas pessoas tinham tido um conhecimento parcial do plano da salvação, nesse caso, do Espírito Santo e agora passaram a conhecer a Deus em Sua Plenitude. Aqueles discípulos, apesar de sinceros, não haviam sido batizados com a compreensão total da obra de salvação e de transformação, tanto de Cristo quanto do Espírito Santo. Por isso, Paulo precisou batizá-los outra vez nas águas, pois agora eles conheciam a verdade “completa”.

Para que serviu o batismo de João? Qual é a diferença entre o batismo de João e o batismo cristão?

O homem escolhido por Deus para anunciar a chegada do Messias teve uma carreira de pouca duração, mas de grande impacto. João Batista pregou uma mensagem deARREPENDIMENTO e da vinda do REINO DOS CÉUS – “Enquanto eles ainda estavam morando em Nazaré, João Batista começou a pregar no deserto da Judeia. Seu assunto constante era: “Abandonem os seus pecados, voltem-se para Deus, porque o Reino dos céus está para chegar logo.” (Mateus 3:1,2). Ele preparou o caminho para a vinda do Messias “Estou ouvindo uma voz que clama no deserto: ‘Preparem um caminho para o Senhor; preparem um caminho reto e plano para o nosso Deus.” Esse mensageiro foi João Batista. Ele batizava no deserto e ensinava que todos deviam ser batizados, como demonstração pública da sua decisão de voltar as costas para o pecado, para que Deus os perdoasse.” (Marcos 1:3,4)

No contexto todo, Paulo faz alusão à unidade Espiritual da Igreja (Alusão é fazer rápida menção). Em Atos 19 relata-se que os apóstolos haviam recebido o batismo de João, que era de Deus, pois foi Deus quem mandou João batizar, mas, mesmo assim esses discípulos de João se submeteram a um segundo batismo, simbolizando assim que estes aceitavam inteiramente a “NOVA DOUTRINA”, mesmo sabendo que o “batismo de João era de Deus, realmente”.

O principal diferencial entre os dois batismos está na fórmula batismal!

Fórmula Batismal são as palavras pronunciadas no momento do ato do batismo! No batismo de João, nenhuma fórmula é usada no ato do batismo, João dizia apenas assim: “E eu, em verdade, vos batizo com água, para o arrependimento;” (Mateus 3,11). João não invocava algum «nome» sobre a pessoa que estava sendo batizada; O seu foco era o arrependimento. Lembrando que o batismo cristão, embora inclua o arrependimento, que é o fator principal e necessário, no entanto, também simboliza profundamente a nossa união e identificação com Jesus em sua morte, sepultamento e ressurreição, algo que o batismo de João não dizia (Porque Jesus ainda não havia sido crucificado)

Depois do sacrifício de Jesus na cruz o batismo é em “Seu Nome” e aqueles que foram batizados no batismo de João tiveram de ser rebatizados no “Nome do Senhor Jesus”, a fim de receberem o Espírito Santo.

João ensinava errado? Claro que não!

Mas eles se rebatizaram, após compreender que deveriam ser batizados “em nome do Senhor Jesus”. Após o sacrifício de Jesus na Cruz, tudo mudou!

O REBATISMO!

Não existe nenhuma ordem Bíblica para o rebatismo, mas também, não existe nenhuma ordem Bíblica proibindo o rebatismo!

Biblicamente, o batismo não é uma ordenança que concede méritos à Salvação, e sim um símbolo visível de uma nova aliança!

Quem já foi batizado por imersão, mesmo nunca tendo rompido seu relacionamento com Cristo, pode selar publicamente, por um novo batismo, demonstrando assim sua aceitação de uma nova plataforma doutrinária! “Quando vier o Espírito da verdade, ele Guiará vocês em toda a verdade, pois não estará falando de si mesmo, mas falará aquilo que ouviu. Ele falará a vocês a respeito do futuro.” (João 16:13). Então mesmo nunca tendo rompido seu relacionamento com Cristo, essas pessoas podem demonstrar esta aceitação doutrinária se assim ela enxergar que naquele ministério há um comprometimento com o conteúdo geral das Escrituras Sagradas.

O rebatizado não é para ser cristão e passar a crer em Jesus, POIS ISSO A PESSOA JÁ É MESMO ANTES DE QUALQUER BATISMO, pois para ser Cristão deve-se primeiramente crer! Mas para aceitar a fazer parte daquela comunidade com a qual ele passará a compartilhar costumes (doutrinas), e se tornar parte do corpo de Cristo (Membro na igreja), então para isto existe o rebatismo em algumas denominações.

O ARGUMENTO MAIS UTILIZADO PARA QUEM NÃO ACEITA O REBATISMO, É QUE A BÍBLIA DIZ QUE EXISTE “UM SÓ BATISMO!” “há um só Senhor, uma só fé, um só batismo” (Efésios 4:5)

Assim alegando que o batismo por imersão só pode ser ministrado uma única vez a cada indivíduo. O contexto da passagem de Atos 19 deixa claro que o apóstolo tratava de “UM” não no sentido de “QUANTIDADE”, mas sim de “AUTORIDADE e QUALIDADE”. Além do mais, foi ele mesmo quem praticou o rebatismo na própria cidade de Éfeso, ele não poderia se contradizer diante do público que sabia que ele próprio já havia rebatizado os discípulos de João, o que mostra que Paulo não falava em “quantidade” de batismos em Efésios 4:5, mas na “autoridade” que o batismo e a fé em Jesus têm sobre a vida do crente.

Assim como citado acima a Congregação Cristã também entende que existe apenas um batismo, e este batismo deve ser seguido das orientações contidas exatamente como o Novo Testamento ensina!

Não podemos esquecer de toda a Palavra!

“Pedro respondeu: “Cada um de vocês deve abandonar o pecado, voltar-se para Deus e ser batizado “NO NOME DE JESUS CRISTO” para o perdão dos seus pecados. Então vocês também receberão o dom do Espírito Santo.” (Atos 2:38)

“Então Jesus aproximou-se dos seus discípulos e disse: “Toda a “AUTORIDADE” no céu e na terra foi entregue a mim. Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os no nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, e ensinando esses novos discípulos a obedecerem a todas as ordens que eu lhes dei. E também certeza disto: Eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos”. (Mateus 28:18,19)

Na Congregação Cristã no Brasil para o batismo segue-se a união das frases: “Irmão(ã), em Nome de Jesus Cristo, te batizo em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo”. Para receber o Espírito Santo, o pecado deve ser remido por Jesus Cristo (Homem). Cristo homem purifica os pecados para o Batismo chegar a Deus. Então: Em Nome de Jesus Cristo perdoam-se todos os pecados da pessoa batizada. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, transforma a pessoa batizada em uma nova criatura que é o novo nascimento. Para recebermos o Espírito Santo tem que clamar ao Senhor Jesus Cristo que (Enquanto Homem pagou nossos pecados na cruz). Ou seja, pelo poder (autoridade, permissão) concedido por Jesus Cristo a pessoa está sendo batizada no nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo!

Batizar em Nome de Jesus significa batizar em nome de tudo que Ele representa! ”Mas estes estão registrados para que vocês creiam que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e crendo nele tenham VIDA EM SEU NOME.” (João 20:31)

Entende-se que assim como sabiam os Apóstolos repetir uma ordem, não é sempre o mesmo que obedecê-la. Quando um ministro batiza alguém dizendo; “Eu te batizo em nome do pai, do Filho e do Espírito Santo”, ele (o ministro) repetiu a ordem, mas não a obedeceu. E porque não obedeceu? Porque não se pediu autorização ao Dono da igreja! Ninguém vai a Deus senão pelo NOME Dele “Ninguém vem ao Pai se não por mim”. (João 14:6), Ele é o nosso caminho, nossa verdade e nossa vida! O nome de Jesus não foi invocado sobre o batizado.

Algumas igrejas batizam dizendo: “Eu te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.” A exemplo da Igreja Batista. E outras batizam dizendo “Eu batizo agora, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo” A exemplo da igreja da Graça e da Assembleia de Deus!

A ordem que Jesus deu aos seus discípulos é que fizessem tudo em «Seu Nome» “Permitam que eu claramente afirme aos senhores e a todo o povo de Israel que isso foi feito por intermédio do nome de Jesus Cristo de Nazaré. (…) É pela autoridade dele que este homem se acha aqui curado diante dos senhores!” (Atos 4:10)

Batismo não salva ninguém, mas ele acompanha a Salvação! Ele é um cumprimento da Palavra de Deus, um compromisso com evangelho!

Assim, quando uma denominação cristã rebatiza os membros de outra, é um sinal de que há importantes diferenças entre as doutrinas das duas. O Batismo é uma cerimonia! Tanto o Batismo, quanto a Santa Ceia são ritos cerimoniais que estarão em nosso meio até Jesus voltar. Depois essas cerimônias não mais existirão.

Todo o batismo está “em” doutrina e autoridade de alguém “Nunca podemos esquecer, amados irmãos, aquilo que aconteceu ao nosso povo no deserto, há muito tempo. Deus os guiou enviando uma nuvem que se movia à frente deles. Assim, ele os levou em segurança através do mar. Isso poderia ser chamado seu batismo, batizados tanto no mar como na nuvem! Como seguidores de Moisés, representando sua submissão a ele como seu líder.” (I Coríntios 10:1,2)

Com o batismo nós nos identificamos com alguém ou algum sistema de doutrina. Quando Paulo ouviu as respostas dadas pelos discípulos ele perguntou: Qual batismo receberam? Eles responderam que haviam sido batizados na “autoridade” e no “ensino de João”. João, enquanto na terra, tinha recebido autoridade do Céu para batizar.

“Eles voltaram novamente a Jerusalém e, quando Jesus estava andando pelo templo, os sacerdotes principais, os mestres da lei e outros líderes religiosos judaicos vieram a ele, perguntando: “Com que autoridade você faz essas coisas? Quem lhe deu autoridade para isso?” Jesus respondeu: “Eu lhes direi se vocês responderem a uma pergunta. Respondam-me, e eu lhes direi com que autoridade estou fazendo estas coisas: O batismo de João era do céu ou dos homens? Respondam-me!” Eles conversaram entre si: “Se respondermos que foi dos céus, logo ele perguntará: ‘Muito bem, por que vocês não creram nele? Mas, se dissermos que foi dos homens, logo o povo fará um tumulto”, porque todos acreditavam que João era profeta. Por isso eles disseram: “Não podemos responder, Não sabemos”. A isso Jesus respondeu: “Então eu tampouco responderei com que autoridade estou fazendo estas coisas!” (Marcos 11:27,33)

Cristo e os apóstolos foram batizados por João e era Cristo quem dava a autoridade aos discípulos para que eles batizassem. “Quando o Senhor ouviu dizer que os fariseus sabiam que ele estava fazendo mais discípulos e batizava mais pessoas do que João, embora Jesus mesmo não as batizasse, e sim os seus discípulos, deixou a Judeia e voltou novamente para a Galileia.” (João 4:1,2)

O ato de rebatizar não se aumenta ou diminui as Sagradas Escrituras, muitas pessoas por estarem em denominações ainda que cristã, tem a FÉ EM JESUS, mas não estão na mesma doutrina, por isso algumas rebatizam! O rebatismo é um assunto em que cada pessoa precisa tomar consciência de sua atitude no temor de Deus. E mesmo nas igrejas que rebatizam novos membros que migraram de outra denominação, ninguém insiste para que a pessoa se batize ou rebatize, pois é Deus quem lhe abre o entendimento.

Nestas denominações quem atende aos batismos não força as almas a se batizar, não fazem insistências ou ameaças. Eles entendem perfeitamente que “As almas” deverão se batizar quando estiverem convencidas e convertidas por Deus. Eles esclarecem bem e deixa á alma se decidir, ela se decide quando está convertida! A OBRA É DE DEUS E NÃO DO HOMEM!

Ninguém é convencido pelo homem (carne) para se batizar, toda a experiência é direta com Deus e seus sinais operados na vida da pessoa, no entanto que primeiro anunciam as doutrinas e depois “SE A PESSOA SENTIR”, como é o caso da Congregação Cristã, ela vai assistir um batismo (caso contrário, ela pode continuar congregando com a irmandade como testemunhada da obra – Testemunhado = Que recebeu o Testemunho do Evangelho e da doutrina, assim como os testemunhos contados pelos membros!), até o dia em que ela sentir de ir assistir um batismo, ali é entre a PESSOA e DEUS. Por isso antes de julgarmos é importante procurar saber o porquê pessoas de outras denominações se rebatizaram nestas denominações (Qual seu testemunho? Que obra Deus fez na vida destas pessoas para hoje estarem como membros da igreja? É sabido que hoje na Congregação Cristã no Brasil, tem em seu meio aqueles que se rebatizaram, entre estes estão (ex-pastores(as), ex-padres e ex-membros de diversas denominações).

Observa-se que na CCB se crê na transformação que o Espírito Santo opera de forma “clara” na vida das pessoas e que para os críticos de outras denominações referente o rebatismo é devido á não ter intimidade com o Espírito Santo de Deus, sendo assim de difícil compreendimento de que ali não existe obra não da carne, mas do Espírito!

          Batismo é um sinal de exteriorização de algo maravilhoso que aconteceu lá dentro do coração, no profundo da alma…é um testemunho, uma experiência pessoal!

“Eu nunca vi e nem ouvi falar de alguém foi levado á força para ser batizado!”. A pessoa se batiza porque sente. Ninguém obriga ninguém!

A Igreja Primitiva evangelizava primeiro, depois batizava, vejo que na Congregação Cristã no Brasil não é diferente! Sabe-se que não se batiza pessoas que ainda não foram instruídas acerca do evangelho e das doutrinas da igreja em que se sentir virá á fazer parte!

Na CCB sempre deixam que Deus trabalhe livremente nos corações. Aquele que se batiza nas águas na Congregação e que pertenceu á outra doutrina, aceitou fazer parte do corpo da Igreja, para estar em comunhão com ela e, a meu ver, não faz agravo à Palavra de Deus, afinal como se trata de um simbolismo, não existe nenhum pecado ou transgressão em um novo batismo! Temos vários exemplos de várias denominações cristãs que fazem o batismo e orienta a pessoa que continue do mesmo jeito, sem doutrina e até seguindo leis do antigo testamento, como guardar o sábado e cobrar o dízimo, entre outras mais.

A Congregação Cristã no Brasil é igreja fundamentada na doutrina apostólica do Novo Testamento e ainda permanece intacta aos costumes da igreja, sem deixar os costumes mundanos entrar em seu meio. Na Congregação busca-se seguir a doutrina cristã conforme ensinado no Novo Testamento. Existem pontos onde a CCB é diferente de outras denominações evangélicas. Não são apenas pontos de doutrina: Há diferenças em questões de organização da igreja, do processo de escolha do ministério, ou do procedimento para os fiéis realizarem doações (por exemplo, na CCB não há cobrança de dizimo, e o ministério não recebe salário). Por tudo isso, a CCB respeita todas as denominações religiosas (conforme consta em ensinamentos aprovados em reunião anual pelos anciães mais antigos, e propagados em todas as igrejas), mas consideram legítimo apenas os procedimentos espirituais realizados no âmbito (ambiente) de seus ensinamentos.

Assim como era feito na igreja primitiva a Congregação Cristã no Brasil, procura seguir da mesma forma na questão da escolha de seu ministério, onde não se reconhece diplomas humanos. Alguém que estuda teologia, e que esteja autorizado pelo homem a exercer esta função. Para a CCB a autoridade para este serviço não vem dos homens, mesmo que estes tenham certificação autorizada por seus dedicados estudos. Respeita-se quem se dedicou aos estudos, porém para a CCB esta autoridade vem diretamente de Deus – Esta autoridade vem do céu, aos membros que Deus escolheu! Esta obra não é da carne, mas do Espírito! Seu ministério é escolhido por Deus, assim como nos tempos apostólicos! Seu pastor é Único e chama-se Senhor Jesus e os membros são suas ovelhas.

                                              MENTIRAS CONTRA A CCB!

Infelizmente existem mitos criados por alguns a respeito da CCB e disseminados pela rede!

1 – Equivocadamente, alguns pastores acusam que a Congregação realiza batismos numa ‘quaternidade’(?) de nomes.

Uma acusação sem lógica! Pois apenas se adota a autoridade do “Nome do Senhor Jesus”, registrada em (Atos 2,38) associado à fórmula batismal de (Mateus 28,19) em todos os serviços batismais. Tal prática é legítima e está de acordo com as Escrituras. Também, tal prática é defendida até mesmo pelo ICP (Instituto Cristão de Pesquisa)

confira:

“Obviamente, a declaração em foco: ”Seja batizado em nome de Jesus Cristo”, está se referindo à ideia de “pela autoridade de Jesus”, como se lê nas passagens 3.16 e 16.18, nas quais a autoridade de Jesus é invocada. Além disso, o próprio Mestre ordenou seus discípulos: “Ide e fazei discípulos de todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo” (Mt 28.19). Este procedimento foi ratificado pelos pais da Igreja primitiva desde os tempos cristãos mais remotos e autenticado em diversas passagens da obra. Os ensinos dos doze apóstolos. O texto em estudo, portanto, revela apenas que o batismo deve ser feito sob a autoridade que há no nome de Jesus.” (Bíblia Apologética de Estudo – ICP – Instituto Cristão de Pesquisa – Edição Ampliada, pág. 1088. ACF – Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil).

2 – REVELAÇÃO DE PEDRO: É comum ouvir dizer que quem é da CCB afirma que Pedro teve uma nova revelação no dia de Pentecostes em Atos 2:38, e que por isso foi incluso o versículo no ato batismal “em Nome de Jesus Cristo….”, a CCB em nenhum lugar afirma isto!

Alguns para afirmar esta invenção como sendo verdadeira apelam para fontes extras bíblicas como didaqué (que é documento encontrado em um mosteiro da denominação católica), porém que não faz parte dos livros da Bíblia que os evangélicos usam!

O Problema é que um site pega do outro e ficam repetindo a mesma coisa, como se tivessem pleno conhecimento.

A Congregação Cristã no Brasil só tem a Bíblia sagrada como regra de FÉ e VIDA.

3 – A PALAVRA “EU”: O que se vê disseminado em muitos sites é: Na expressão “eu te batizo”, a CCB entende que ao dizer “eu te batizo” é a carne que opera, pois é o homem se colocando na frente de Deus. E comparam com a frase de João Batista quando dizia “Vos batizo”. O Batismo só é válido se efetuado com esta fórmula: “Em nome do Senhor Jesus TE batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”. Dizendo que a Congregação afirma que por isso o batismo de outras comunidades cristãs evangélicas está errado e que no exemplo “Eu te batizo” e “Te batizo”, onde na primeira expressão o sujeito está explícito e na segunda o sujeito está oculto e que não faz diferença nenhuma!

O exemplo acima é mais uma falácia sem fundamento, pois quanto á fórmula batismal “TE batizo” ou “EU te batizo” é uma pena ver esse tipo de argumentação sendo espalhada. É óbvio que não existe nenhuma diferença nas expressões! Relato somente o “eu”, propositadamente deixado entre aspas. Esse pronome (eu) pode ser oculto (não aparecer na frase), mas o sujeito esta oculto e a Ccb sabe disso! Então a resposta é: Não! A Ccb não acha que João Batista era carnal, pois nunca afirmou haver diferença nas expressões citadas. Este é mais um mito disseminado não sei por quem e não creio que ainda tem quem acredite nisso!

Ora, deixa ocultar o “Eu” para que só o nome de Jesus apareça! Isso é bem simples nem precisa de gramática para entender. O mérito é para Jesus Cristo sempre! Se oculta o sujeito “Eu” e deixa exposto somente o nome de Jesus, simples que mal há nisso? Agora e na Bíblia tem alguma obrigatoriedade para citar o tão questionado “EU” na fórmula batismal? 

4 – ‘NÃO HÁ SALVAÇÃO FORA DA CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL’(?)

Há refutação (Refutação: Argumentos e prova que destrói o que foi alegado), na literatura da própria Congregação se desmente essa falácia:

“No ano de 1898, o Senhor salvou o irmão Giuseppe Beretta por meio dos Metodistas Livres, Americanos, o qual após algum tempo uniu-se conosco, Presbiterianos italianos.” (Histórico da Congregação Cristã no Brasil)

Ora, o histórico da Congregação relata que o irmão Giuseppe Beretta foi salvo por meio dos Metodistas Livres, este salvo se uniu a outros também já salvos, Presbiterianos italianos. Portanto, mais uma acusação sem fundamento!

5 – REBATISMO É CRUCIFICAR JESUS CRISTO NOVAMENTE?

É comum que alguns que não aceitam a doutrina de rebatismo citar Hebreus 6:4,6, alegando que isto é como crucificar Cristo novamente! A Palavra de Deus nos ensina sim, sobre a possibilidade de alguns crucificarem novamente o Filho de Deus, mas não com este ponto de vista que críticos alegam!

“Não adianta nada procurar novamente trazer de volta ao Senhor aqueles que já compreenderam o evangelho e experimentaram por si próprios as coisas boas do céu, e participaram do Espírito Santo, e conhecem a boa palavra de Deus, e sentiram as forças poderosas do mundo que está para vir, e depois se voltaram contra Deus. É impossível tornarem a se arrepender, pois é como se estivessem pregando novamente o Filho de Deus na cruz, exibindo-o à zombaria e à vergonha pública.” (Hebreus 6:4,6)

Estaria o autor de Hebreus se referindo ao rebatismo no contexto imediato dessa passagem?

Primeiramente temos que ter em mente que Hebreus foi escrita para cristãos que vieram do judaísmo e estavam sendo tentados á apostatar (abandonar) a fé, o que incluiria negar publicamente na sinagoga que Jesus Cristo era o Messias esperado pelos judeus! Então tal atitude seria um repúdio ao cristianismo, uma apostasia (abandono).

Já outros também argumentam que essa passagem se refere ao crente que se desvia. Dizem que é impossível para quem se desviou ser renovado para arrependimento, pois crucificaram o Filho de Deus.

Este também é outro comentário falacioso, pois na prática nós sabemos que muitos cristãos passam por períodos de desvio e ficam fracos na fé e depois voltam á se reconciliar com Cristo e a Igreja. Caso contrário, então não haveria lógica nenhuma existir os apelos nas igrejas para que a pessoa desviada se reconcilie novamente com Cristo. Então isso prova que é possível uma reconciliação!

Então o que o autor de Hebreus queria realmente dizer nessa passagem? O que seria esse “recaíram” que ele disse?

1 – Seria se rebatizar como ensinam a Assembléia de Deus e outras denominações evangélicas?

No caso da Assembléia de Deus e outras que dizem ser o rebatismo, estes fazem uma exegese (argumentação) conhecida tecnicamente por eisege (Eisege: É arrancar para fora do texto o que ele significa – é inserir no texto um significado) – O contrário da exegese – que significa extrair o significado do texto).

2 – Seria se desviar e depois querer voltar para Cristo?

No caso de se desviar é improvável, visto que existe um número bem considerável de crentes que uma vez já se desviou e depois se reconciliaram e se firmaram novamente com Cristo.

Nenhuma dessas 2 alternativas satisfazem o contexto imediato e o geral das Escrituras:

A resposta para esta questão se encontra no contexto imediato no versículo 11 do mesmo capítulo: “Mas desejamos que cada um de vós mostre o mesmo cuidado até ao fim, para completa certeza da esperança;” – (Hebreus 6:11). O crente deve mostrar o mesmo cuidado até ao fim, ou seja, não se desviar definitivamente e morrer no estado de apostasia (abandono da fé).

Procuremos entender o sentido real da Palavra de Deus, para não ficarmos julgando doutrinas como heréticas e destruidoras. Pessoas tendem á definir que X igreja é uma seita, quando querem que a mesma mude seus ensinamentos e passem a ensinar do modo que eles querem! De acordo com as doutrinas deles e seguindo suas interpretações bíblicas.

E assim como no tempo de Paulo, chamam de seita, quem batiza em Nome de Jesus! “Mas uma coisa eu confesso, que é crer no Caminho ao qual eles se referem como uma seita; eu sigo esse modo de servir ao Deus dos nossos antepassados; creio firmemente na lei e em tudo o que está escrito nos profetas.” (Atos 24:14)

É comum ouvir testemunhos de pessoas que nunca se quer ouviu falar da Congregação Cristã no Brasil  e que através de sonhos (revelação), foram guiadas até ela, agora raciocina comigo: Se ela é uma seita como alguns afirmam, porque Deus iria falar com estas pessoas em sonho, mostrando a igreja e falar dela? Porque Deus em sonhos colocaria seus filhos dentro de uma seita? Outra questão é, porque será que Deus tirou os inúmeros pastores de outras denominações que já estudaram teologia e hoje abandonaram suas congregações para fazerem parte de uma seita? É certeza que se você tiver a oportunidade de conversar com um ex-pastor que era de outra denominação religiosa com certeza ele te dirá que só passou a congregar na Congregação Cristã porque Deus revelou ou lhe deu algum sinal bem nítido e não porque ele próprio quis ser membro dela ou porque foi incentivado pelos membros da CCB.

                                                 A DÚVIDA NÃO É DE DEUS!

Não busque a resposta no homem, peça para Deus te dizer! Certeza que Ele não vai te deixar vazio nesta parte! Dobre seu joelho e no seu íntimo pergunte para Deus, em segredo e espere somente Nele com paciência, Ele com certeza tomará um caminho e não te deixará sem resposta (A dúvida não é de Deus), Deus não deixa seus filhos confundido!

Sabem por que muitos se sentem tão FRUSTRADOS? Porque buscam respostas no homem, esperam do pastor, do padre, do ministério, do irmão ao lado, do vizinho! Não esperem verdade e salvação de qualquer homem, ESPEREM DE DEUS!

De que adianta discutir se Adão e Eva morderam maçã ou pera? Os fariseus vinham com argumentos (razões) e Jesus mostrava obras! Onde VOCÊ está, você está vendo OBRAS?

Pela árvore se conhece os frutos… “Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores. Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus.” (Mateus 7:15,17)

Portanto se encontrou o lugar que acredita que é bom para sua alma, se você sai de lá confortado, se você entra vazio, mas sente que sai de lá cheio, onde dirige os olhos, onde põe suas mãos, onde anda, o que ouve, o que falam te edifica? Neste lugar você vê ações de Cristo?

“Lembre estes grandes fatos ao seu povo, ordenando-lhes em nome do Senhor que não discutam a respeito de coisas sem importância. Essas discussões são inúteis e só causam confusão, e acabam prejudicando os que estão presentes. Seja um bom obreiro, um obreiro que não precisa ficar envergonhado quando Deus examina o seu trabalho e que ensina corretamente a palavra da verdade.” (2 Timóteo 2:14,15)

RAZÕES PARA BATIZAR EM NOME DE JESUS!

1° – Porque o primeiro Batismo da história da Igreja foi realizado em Nome de Jesus Cristo. “Pedro respondeu: “Cada um de vocês deve abandonar o pecado, voltar-se para Deus e ser batizado “NO NOME DE JESUS CRISTO” para o perdão dos seus pecados. Então vocês também receberão o dom do Espírito Santo.” (Atos 2:38). E este é o modelo original de Batismo da Igreja Cristã. 

2° – Porque toda propriedade deve ser registrada em Nome do seu Dono, Jesus é o Dono da Igreja, pois Ele a comprou “Eles cantavam-lhe um cântico novo com estas palavras: “O Senhor é digno de receber o livro e quebrar os seus selos e abri-lo; porque foi morto, e com o seu sangue comprou para Deus pessoas de toda tribo, língua, povo e nação.” (Ap 5:9), portanto, se deve ser batizado (registrado) em seu Nome.

3° – Porque a Igreja é a noiva\esposa de Jesus “Então um dos sete anjos que haviam derramado os vasos que continham as sete últimas pragas veio e me disse: “Venham comigo, que eu lhe mostrarei a noiva, a esposa do Cordeiro”. (Ap 21:9), e nós sabemos que a noiva ou esposa recebe o nome do seu noivo ou esposo.

4° – Porque o Apóstolo Paulo rebatizou os discípulos de João Batista em Nome de Jesus “Então Paulo mostrou-lhes que o batismo de João era um batismo de arrependimento, e também disse que eles deviam prosseguir e crer em Jesus, aquele que João disse que viria depois dele. Logo que eles ouviram isso, foram batizados no nome do Senhor Jesus.” (Atos 19:4,5), Paulo também foi batizado em Nome de Jesus “E agora, por que demorar ? Levante-se e seja batizado, e fique limpo dos seus pecados, invocando o seu nome’. (Atos 22:16).

5° – Porque o apóstolo Paulo disse que só há um Batismo “há um só Senhor, uma só fé, um só batismo” (Efésios 4:5), e ele o realizava em Nome do Senhor Jesus “Logo que eles ouviram isso, foram batizados no nome do Senhor Jesus.” (Atos 19:5). O evangelho que Paulo pregava continha o Batismo em Nome de Jesus!

6° – Porque Paulo disse que não recebeu este evangelho de homem algum, mas que recebeu mediante revelação de Jesus Cristo “Irmãos, afirmo solenemente que o evangelho que eu anuncio não está baseado em mera fantasia ou sonho dos homens. Minha mensagem não vem de pessoa alguma, e sim eu a recebi do próprio Jesus Cristo, que me instruiu sobre o que dizer (por revelação)” (Gálatas l:11,12)

7° – Nós os cristãos devemos ser batizados em Cristo “E os que fomos batizados em união com Cristo somos revestidos por ele.” (Gálatas 3:27). Seja batizado em Nome de Jesus, pois ele é o nosso mediador “Há um só Deus e um só mediador, entre Deus e os homens: o homem Cristo Jesus.” (I Timóteo 2:5). Ou seja, aquele que faz a ponte entre Deus e os homens.

8° – Porque Paulo recomendou: “SEDE meus imitadores, como também eu de Cristo.” (I Cor 11:1), Se ele batizava em Nome de Jesus, façamos o mesmo!

9° – Porque ainda hoje, assim como nos dias do Apóstolo Paulo; falam mal e chamam de seita, aqueles que batizam em nome de Jesus “Mas queremos saber em que você crê, porque a única coisa que sabemos a respeito desses seguidores de Cristo é que eles são combatidos em toda parte!” (Atos 28:22)

10° – Porque os Apóstolos formados na melhor escola de teologia do planeta, aos os pés do melhor professor de todos os tempos, batizavam em Nome de Jesus “Pedro respondeu: “Cada um de vocês deve abandonar o pecado, voltar-se para Deus e ser batizado “NO NOME DE JESUS CRISTO” para o perdão dos seus pecados. Então vocês também receberão o dom do Espírito Santo.” (Atos 2;38)

11° – Meu amigo, meu irmão, seja também um dos odiados por causa do Nome de Jesus. “Eles aceitaram o conselho de Galimael. Chamaram os apóstolos, mandaram açoitá-los e depois disseram a eles que não mais falassem no nome de Jesus; e finalmente os deixaram sair em liberdade.” (Atos 5:40)

“E todos os odiarão porque vocês são meus…” (Marcos 13:13)

“Então vocês serão perseguidos e condenados á morte, e vocês serão odiados no mundo todo por minha causa.” (Mt 24:9)

JESUS é a nossa “AUTORIDADE”

Jesus é a nossa videira verdadeira e nós somos os ramos, e quem permanece Nele, produz frutos, pois separados de Cristo, nada podemos fazer! Ele mesmo disse: “(…) porque sem mim nada podeis fazer”. (João 15:5)

“Sempre deem graças por tudo a nosso Deus e Pai, no nome do nosso Senhor Jesus Cristo.” (Ef 5.20)

TUDO O QUE FIZER DEVE SER FEITO EM NOME DE JESUS!

“E, quando fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.” (Colossenses 3:17)

OBS: Depois de muitas perguntas referentes a este assunto, fiz um texto abordando o tema! Porém antes de tudo ressalto que esta questão é muito particular (entre a pessoa e Deus), tentei passar algo á luz da Bíblia e com alguns relatos de testemunhos que já ouvi, quando a dúvida também me surgiu, mas a melhor resposta que você pode ter é obtendo-a diretamente com Deus!

Também ressalto que esta página não tem nenhum vínculo com as denominações aqui citadas! Este texto tem apenas a finalidade de abordar e esclarecer sobre o tema questionado!

Deus abençoe á Todos!

TEXTOS QUE VOCÊ POSSA SE INTERESSAR TAMBÉM:

VOCÊ DESEJA LER E ENTENDER A BÍBLIA, PORÉM TEM DIFICULDADES PARA COMPREENDER OS TEXTOS? AGORA VOCÊ JÁ PODE INICIAR SUA LEITURA BÍBLICA DE LINGUAGEM FÁCIL E DE SIMPLES COMPREENSÃO 😉 É DE GRAÇA 😄 PARA INICIAR BASTA CLICAR NO LINK ABAIXO👇

Transfusão de Sangue e Doação de Órgãos é Proibido pela Bíblia?

A transfusão de sangue é proibida pela Lei de Deus?

  • Em que se baseiam determinadas denominações para defender a ideia de que transfusão de sangue é errada em relação á Palavra de Deus?
  • Mas e o contexto Bíblico o que realmente diz sobre este assunto?

No livro de Atos dos Apóstolos encontramos tópicos bem frisados por aqueles que defendem a proibição de transfusão de sangue:

“Na verdade pareceu bem ao Espírito Santo e a nós, não vos impor mais encargo algum, senão estas coisas necessárias: Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da fornicação; das quais coisas fazeis bem se vos guardares. Bem vos vá.” (Atos 15: 28,29)

“Então eles iam de cidade em cidade, comunicando a decisão a respeito dos gentios tomada pelos apóstolos e os presbíteros da igreja em Jerusalém.” (Atos 16:4)

“Quanto aos gentios convertidos, não estamos pedindo de modo nenhum que sigam estes costumes judaicos, a não ser aqueles pontos sobre os quais já escrevemos a eles; não comer alimento oferecidos aos ídolos, não comer carne de animais estrangulados (sufocados) sem sangrar e não praticar a imoralidade sexual”. (Atos 21:25)

Nestes versículos, o que a Assembleia de Jerusalém estava decidindo, era referente às doutrinas que os novos convertidos em Cristo tinham que seguir, pois os judeus queriam que eles primeiro seguissem as Leis de Moisés, se circuncidando e seguindo tudo o que a Lei Mosaica ordenava, para só então depois seguir á Cristo. E durante a Assembleia ficou ordenado pelo Espírito Santo que eles não precisavam seguir a Lei Mosaica, mas para se abster das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da fornicação; (Abster-se significa privar-se, desviar-se. Privar-se, não comer)

Aqueles que consideram a transfusão de sangue errado julgam que não se deve comer sangue, conforme orientado em Atos e dizem que a alimentação também não deve acontecer pelas veias, pois assim segundo a crença deles também está comendo sangue!

Primeiramente o que devemos entender é que “COMER” sangue, não tem nada a ver com “TRANSFUNDIR” sangue. A transfusão de sangue, não é comer através das veias: Porque a alimentação vai pela sonda seja gástrica ou nasal e não pela veia. Se aqueles que negam receber este procedimento chegar ao hospital inconsciente como os médicos não podem omitir socorro eles fazem a transfusão se for preciso e depois avisa o paciente. Em situações de “risco iminente (urgente) de vida” o médico pode e deve fazer transfusão de sangue, se o médico não o fizer, comete o crime de negligência ou omissão de socorro. Mas e ai como fica depois disso? Em sã consciência quem nega esta prática assina um termo de responsabilidade, mas e em caso de inconsciência como fica?

Mas e para quem não aceita a transfusão, se eles trabalham na área da saúde e em uma ordem médica para se aplicar a transfusão em alguém, eles a negam? Já que são contrários a tal procedimento? Eles colocam as mãos deles onde acreditam que não se deve colocar? Bom, ai neste caso mesmo a pessoa não aceitando, se ela trabalha nesta área é obrigada a fazer, pois se negar torna uma negligência, tanto enfermeiros como médicos fazem juramento para ajudar a salvar vidas. A lei brasileira felizmente coloca a vida humana acima destas polêmicas, pois vivemos em um país laico (onde religião não interfere nas leis)

Do ponto de vista lógico e médico, a transfusão tem uma única finalidade, nunca, porém, a de alimentar o estômago do paciente. Quando a medicina aplica esse recurso é porque ele é realmente necessário, para salvar a vida da pessoa e não para saciar lhe a fome. Um doador e um receptor jamais cogitam que o sangue doado será objeto de solução para famintos. Antes, terá o nobre propósito de salvar a vida daquele que se vê necessitado dele para fins estritamente medicinais. Note bem o que está escrito:

“Mas nunca comam a carne com a sua vida, isto é, com o sangue. Pedirei contas de cada ser humano e de cada animal que derramar o sangue de alguém” (Gn 9:4)

“Em qualquer lugar que vocês morarem, não comam sangue, quer de aves, quer de gado” (Lv 7:26).

O assunto em questão é alimentação e não procedimentos médicos, á proibição de comer o sangue, se referem a não comer a carne com o sangue, jamais estes textos fazem referência ao sangue humano, já que se ele referisse ao sangue humano, então a carne humana poderia ser utilizada como alimento, o que é algo repulsivo e absurdo!

A proibição está restrita somente ao sangue dos animais como alimento, e não ao sangue humano como medicamento. Comer e receber sangue na veia são coisas distintas, porque Deus falou para não COMER sangue, e não DOAR ou RECEBER sangue. A única maneira possível de entender a palavra “comer”, tanto no Antigo Testamento como no Novo Testamento, é tomá-la como se referindo ao processo de levar alguma coisa para o corpo, como alimento, através da boca e do sistema digestivo.

A expressão “algum sangue” em Levítico 17:10 não pode referir-se ao sangue humano, porque o versículo 13 deixa claro que se trata de “caça de animal ou de ave que se come”. Não existe nenhuma referência bíblica que condene á transfusão! Ao longo dos tempos a medicina vem se desenvolvendo á medida que Deus vai distribuindo inteligência, pois nos dias bíblicos não se conhecia o beneficio de uma transfusão, somente nos nossos dias é que fomos agraciados com esta tecnologia. E mesmo assim, foram anos de estudo para se fazer tal procedimento. Não podemos ignorar a ciência, Deus deixou sabedoria ao homem para fazer descobertas a fim de nos socorrer nos momentos de precisão, pois se não fosse á ciência nossa espécie humana já teria sido extinta do planeta terra devido a pestes e doenças que surgem ao longo do tempo.

A doação e transfusão deve ser ministrada sempre que o propósito seja salvar vidas. A recusa de fornecê-la a alguém que a necessite é violar o princípio de preservação da vida “Não matarás” (Ex 20:13)

A transfusão é belo e nobre. “Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é necessário auxiliar os ENFERMOS, e recordar as palavras do Senhor Jesus, que disse: Mais bem-aventurada coisa é DAR do que receber.” (Atos 20:35). Renovar a corrente circulatória, com o mesmo elemento que a compõe, repondo o sangue perdido trata-se de reabastecimento circulatório evitando a morte do paciente, uma dádiva feita num espírito de misericórdia e caridade.

Toda a discussão do sangue ocorre no contexto de matar, quer seja animais ou humanos. Este é um ponto importante, pois a transfusão de sangue não envolve mortes, quem doa sangue, o doa em vida e com o objetivo de salvar vidas. O sangue é um tecido vivo, que circula pelo corpo levando oxigênio e nutrientes á todos os órgãos.

O sangue é usado com o objetivo de preservar a vida, em nenhum lado lemos sobre “se tomar sangue para sustentar a vida”, o que lemos é que o Criador proscreve “comer” sangue. Existem muitas coisas que fazemos para sustentar a vida: respirar oxigênio, beber água, servir-nos de alimento, dormir e assim por diante. Assim comparar comer sangue e a transfusão é algo totalmente equivocado, a própria Bíblia diz que “(…) onde não há lei também não há transgressão” (Rm 4:15)

“A transfusão de sangue não envolve mortes, quem doa sangue, o doa em vida e com o objetivo de salvar vidas.”

Um argumento muito usado por quem é contrário á transfusão de sangue é que se um médico lhe recomendasse abster-se de álcool, será que isso significaria simplesmente que você não deveria beber álcool? Mas poderia injetá-lo nas veias? E concluem dizendo que da mesma forma, abster-se de sangue quer dizer não introduzi-lo de modo algum no corpo.

Agora pense: O organismo não consegue digerir o álcool quando a bebida é ingerida, (a bebida é digerida, mas o álcool presente nela não). Ele cai na corrente sanguínea, atinge o cérebro e depois alcança o fígado, onde é metabolizado e transformado em água e gás carbônico. Bebida alcoólica diretamente no sangue, sem sofrer a digestão inicialmente, provocará a morte imediata. Quando se está com fome ninguém injeta um prato de sopa na veia, já que equiparam transfusão a comer! Então seria fácil acabar com a fome no mundo, era só toda a humanidade abastecer os bancos de sangue e envia-los para as nações necessitadas, ai pronto todos estariam devidamente alimentados.

Acredito que se Deus deu inteligência aos homens para proteger a vida, Deus seria contraditório ao querer a nossa morte. Deus só permite que o homem aprenda e descubra o que Ele quer que seja descoberto, se não fosse bem visto aos olhos do Senhor, a transfusão não teria jamais chego ao conhecimento do homem, Deus tem o controle de tudo em Suas Próprias mãos. “Nele estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento” (Col 2:3)

“Se Deus deu inteligência aos homens para proteger a vida, Deus seria contraditório ao querer a nossa morte.”

E o mesmo pode ser dito sobre a doação de órgãos em vida e após a morte, não cremos haver nenhum impedimento bíblico para isso, pois com a morte as partes do corpo serão perdidas para sempre e se esses preciosos órgãos não nos valem mais, por que não permitir que outros se beneficiem deles e passem a viver com mais saúde e em melhor estado com algo que se tornará pó? E assim dar a chance da pessoa que está recebendo o órgão á continuar sua caminhada e também ter a chance de reconhecer Jesus como seu Único Salvador, se arrependendo de seus pecados. Na ressurreição, Deus não precisará valer-se daquela própria matéria (corpo) para trazer ninguém de volta á vida, a própria natureza nos explica isso, deixando “a terra nos comer” até virarmos “PÓ”. Não existe nenhuma lei da natureza que requeira que Deus devolva ao corpo as mesmas partículas da matéria (células, ossos, sangue…) que o compunham antes da morte. Afinal Deus é muito mais poderoso e não precisa de nada disso. Ele nos fez do pó e do pó pode nos refazer!

O sangue humano da á vida física ao que necessita. O sangue é um presente de Deus, porque Deus é vida e Dele depende nossa existência. Deus é o autor de toda a vida, Ele fez de um sangue todas as nações. Deus prega a vida, a paz e a união e doar sangue é dar vida, portanto transfusão não é pecado. Sangue é algo precioso aos olhos de Deus que ama toda a sua criação, inclusive os animais. A vida humana é preciosa e deve ser preservada, as Escrituras afirmam que se alguém pode fazer o bem e não o faz, peca. “Lembrem-se também: Quem sabe que deve fazer o bem, e não faz, comete pecado” (Tg 4:17) “Transfusão não é pecado!”

O sangue deve ser tratado como algo especial, ele é tão especial que salva vidas. O próprio Jesus Cristo deu o “Seu Sangue” para salvar todo pecador. Jesus derramou o seu sangue por nós, ou seja, fez uma transfusão de vida eterna para todo aquele que Nele crê. Ele fez a transfusão de sangue Dele para toda a humanidade para nos purificar de todo pecado. Nós devemos dar a nossa vida (sangue) para salvar alguém, isto é ato de amor ao próximo! Nós somos imitadores de Cristo, Ele é o nosso maior exemplo!

“Sigam o exemplo de Deus em tudo quanto fizerem, como filhos muito amados. Sejam cheios de amor pelos outros, seguindo o exemplo de Cristo, que amou vocês e se entregou a Deus como sacrifício a fim de tirar os seus pecados…” (Ef: 5:1,2)

Assim como Jesus deu a sua vida por nós, nós devemos dar a vida pelos irmãos. Jesus realizou um ato de amor se sacrificando para salvar a humanidade, porque então que eu não posso sacrificar um pouco da minha fonte de vida para salvar um irmão? Um inocente, que teve sua vida encurtada pela ironia do destino. “E esta é a maneira de medir o amor, o maior amor é demonstrado quando uma pessoa entrega a VIDA pelos seus amigos…” (João 15:13)

Todo o plano de redenção (salvação) do homem gira em torno do sangue. O sangue é o único meio de compra da redenção. Jesus suou sangue, Ele entrou em agonia no Jardim Getsêmani e seu suor tornou-se como gotas de sangue a escorrer pela terra, na cruz o seu lado foi perfurado saindo sangue e água, “Contudo, um dos soldados furou seu lado com uma lança, e daí correu sangue com água.” (João: 19,34)

O suar sangue, ou “HEMATIDROSE” é um fenômeno raríssimo e produzido em condições excepcionais. Para provocá-lo é necessário um fraqueza física, acompanhada de um abatimento moral violento causado por uma profunda emoção. O terror, o susto, a angústia terrível de sentir-se carregando todos os pecados do mundo devem ter literalmente esmagado Jesus. Tal tensão extrema produz o rompimento das finíssimas veias capilares que estão sob as glândulas sudoríparas (são glândulas que produzem o suor, função importante para regular a temperatura do corpo e eliminar substâncias tóxicas)

Podemos considerar que esta foi a maior transfusão de sangue já realizada no mundo. É o sangue que dá continuidade a todos os processos da vida, no corpo. Se o suprimento de sangue for cortado de um braço, este imediatamente começará a morrer e apodrecer. Jesus Cristo deu TODO o sangue Dele para salvar a milhares de pessoas, por que não podemos doar para salvar vidas? Na cruz do calvário Jesus derramou todo o seu sangue e só morreu quando seu corpo passou a verter água. DOAR SANGUE É UM ATO DE AMOR! “Nós sabemos o que é o amor verdadeiro pelo exemplo de Jesus Cristo, ao dar a sua vida (sangue) por nós. E, portanto, nós devemos dar a nossa vida (sangue) pelos nossos irmãos em Cristo.” (1 João 3:16)

Pense em termos do amor cristão. Doar sangue é um ato que vem a refletir o próprio amor de Cristo. Porque se Ele veio derramar o Seu sangue para nos salvar, com certeza Ele se satisfaz, com alegria, quando alguém se dispõe a também doar seu sangue para salvar alguém. A doação de sangue recebe, em toda sociedade, o mais alto conceito de sentimento de humanidade e amor ao próximo, características que devem ser obrigatoriamente encontrados entre os que se dizem cristãos. A doação de sangue não é condenada na Bíblia e a prova que a Bíblia não proíbe transfusão, pois quem ama DOA: “Pois toda a lei pode ser resumida neste único MANDAMENTO: “Ame o seu próximo como a si mesmo.” (Gal 5:14)

A restrição é tão somente não Comer sangue e não Doar sangue! Doação de sangue é doação de vida! Sangue é vida. Se doar sangue fosse pecado Jesus seria o maior pecador, pois doou todo o sangue Dele para que nós tivéssemos vida. Sou grata a Jesus, o maior doador de sangue de todos os tempos! O DOADOR UNIVERSAL!

A Bíblia é um livro de sangue do começo ao fim. A Bíblia é a Palavra Viva porque contêm sangue circulando nela.

Crescemos dentro do ventre de nossa mãe – O que se resulta em uma “transfusão de sangue” para poder-nos nascer. Sem sangue, não há vida. E sem Cristo não há vida eterna(vida espiritual)!

FAÇA A VIDA FLUIR, MAS NAS VEIAS DE QUEM PRECISA! A VIDA ESTÁ NO SANGUE!

Na verdade seria muito bom se existisse uma lei no Brasil que todos fossem obrigados a doar os órgãos na morte e quem não quisesse em vida registrasse isso na identidade!

Você gostaria de doar sangue mas tem medo? Leia aqui, e tire suas dúvidas. Já doei e recomendo esta atitude. Salve vidas, e seja feliz!

TEXTOS QUE VOCÊ POSSA SE INTERESSAR TAMBÉM:

Deus Abençoe á Todos!

OBS: Temos respeito por quem não segue a mesma doutrina que os demais evangélicos, esta matéria se trata de uma exortação (ensinamento), é totalmente baseada na Bíblia e tem como finalidade explicar para muitos que tem dúvidas sobre as diferenças de comemoração por ambas as crenças!!!
__________________________________________

VOCÊ DESEJA LER E ENTENDER A BÍBLIA, PORÉM TEM DIFICULDADES PARA COMPREENDER OS TEXTOS? AGORA VOCÊ JÁ PODE INICIAR SUA LEITURA BÍBLICA DE FORMA FÁCIL E SIMPLES 😉 É DE GRAÇA 😄 PARA INICIAR BASTA CLICAR NO LINK ABAIXO👇

Não podemos Comer/Beber Sangue e Carne Sufocada?

A Bíblia responde por sí, conheça a verdade!
.

Porque não se pode comer carne com sangue?
Porque não podemos comer carne sufocada?
O que é carne sufocada?

Sabemos que não comer carne sufocada e “comer” sangue é um dos pontos de doutrina da nossa denominação (Pontos de Doutrina e da fé que uma vez foi dada aos santos – Contra Capa do Hinário 5), e está registrada no tópico 9: Nós cremos na necessidade de nos ABSTER DAS COISAS SACRIFICADAS AOS ÍDOLOS, DO SANGUE, DA CARNE SUFOCADA E DA FORNICAÇÃO, conforme mostrou o Espírito Santo na Assembleia de Jerusalém (Atos 15: 28,29; 16:4; 21:25). ABSTER (Abster-se significa privar-se, desviar-se. Privar-se, não comer). Apesar da clareza da mensagem, é comum surgir dúvidas referentes á alguns pontos, hoje vou falar da carne sufocada e da carne com o sangue como alimentos.

“Na verdade pareceu bem ao Espírito Santo e a nós, não vos impor mais encargo algum, senão estas coisas necessárias: Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da fornicação; das quais coisas fazeis bem se vos guardares. Bem vos vá.” (Atos 15: 28,29)

Após a conversão de Cornélio e outros gentios (Gentios são pessoas que não eram descendentes de Israel, mas que aceitaram Jesus, tipo eu, e você). Então após alguns de Israel se converter ao Cristianismo, muitos judeus insistiam que eles precisavam seguir também a lei mosaica (Lei de Moisés) para ser um verdadeiro crente em Jesus, para eles, os gentios teriam que primeiro tornar-se judeus para depois aceitar Jesus, eles insistiam que os cristãos deveriam ser circuncidados (Circuncidar era tipo operação de fimose) e queriam que eles seguissem outros rituais judaicos. Paulo e Barnabé estavam entre aqueles que argumentavam que não era necessário obedecer a Lei de Moisés, após ouvir de Paulo e Barnabé as maravilhas que o Espírito realizou entre os gentios, Tiago deu o discurso que iria dar por terminado este Concílio (Concílio significa conselho, assembleia. É uma reunião de representantes da Igreja, cujo objetivo é decidir sobre doutrina, costumes e disciplinas)

Neste concílio a pergunta era: Deve o cristão obedecer à lei de Moisés? Tiago apresenta um conjunto de quatro mandamentos necessários: “Não comer alimentos oferecidos a ídolos, não praticar a imoralidade sexual, não comer da carne de animais sufocados e não comer sangue”. Assim os cristãos gentílicos ficaram isentos (desobrigados) da circuncisão que os cristãos judeus insistiam em praticar, porém deviam se atentar aos pontos citados. “Então eles iam de cidade em cidade, comunicando a decisão (decretos) a respeito dos gentios tomada pelos apóstolos e os presbíteros da igreja em Jerusalém.” (Atos 16:4)

Deus proibiu definitivamente comer sangue em todas as épocas. Mas ainda hoje se discute muito referente este assunto!

Alguns discordam e dizem NÃO! Alguns dizem que esta decisão foi momentânea. Os que defendem que a proibição era apenas para aquele momento argumentam que Tiago faz um resumo das leis dadas aos estrangeiros para que fossem aceitos em Israel (Lv 17, 18). Não era o conjunto total de regras para os cristãos, pois deixaria de fora diversos outros mandamentos, como não matar, não roubar, não mentir, etc. Embora os cristãos não estivessem sob a lei mosaica, o concílio, julgou que era necessário que se abstivessem do sangue para que pudesse haver harmonia entre os irmãos judeus e gentios. Os cristãos gentios deviam respeitar seus irmãos judeus não fazendo as coisas citadas acima para que assim não fossem “(…) motivo de tropeço para ninguém, quer sejam eles judeus, gentios ou a igreja de Deus” (1 Co 10:32). Estes que não consideram esta proibição dizem que Jesus apresenta as regras da lei quanto à comida (Mc 7.18,19), e considera que os cristãos gentílicos deveriam se abster de comer sangue, para não escandalizar os cristãos judeus que ainda estavam arraigados nos costumes da religião judaica da qual tinham vindo. Para eles é uma medida de amor, para os irmãos mais fracos na fé. Concluindo que o crente também deve agir assim nos das atuais, mas somente quando isto puder causar escândalo para alguém que também estiver fraco na fé, enquanto eles não forem aptos para entender estes atos, num gesto de amor. Assim, a determinação do Novo Testamento de se abster de comer sangue, carne de animais sufocados e coisas sacrificadas aos ídolos para eles é como uma medida de amor, não uma lei que restringe comer sangue. O caso das relações sexuais ilícitas, embora conste do mesmo capítulo e da mesma recomendação apostólica, para eles é diferente do comer sangue e carne de animais sufocados, pois fazem parte da Lei Moral.

Outros dizem SIM! Os que consideram pecado comer a carne com sangue argumentam que esta ordem de Deus para a humanidade veio desde o dia em que Ele autorizou os homens a comer carne de animais, onde este mandamento era anterior à lei. Após o dilúvio, não havendo ainda vegetação suficiente para alimentar o homem e os animais, Deus permite ao homem comer carne de animais, porém com o cuidado de tirar-lhe previamente o sangue. “Tudo o que vive e se move lhes servirá de alimento, além dos vegetais. Mas nunca comam a carne com a sua vida, isto é, com o sangue. Pedirei contas de cada ser humano e de cada animal que derramar o sangue de alguém” (Gn 9:3,4), e na lei de Moisés este mandamento é reforçado. Se a proibição quanto a comer sangue não pretendesse ser universal, então a proibição contra a fornicação e a idolatria também não teriam a intenção de serem universais. Não foi somente comer sangue e coisas estranguladas o que foi proibido nessas decisões, foram também a “fornicação” e as “comidas oferecidas aos ídolos”. “Portanto, a minha opinião é que nós não devemos insistir que os gentios que se convertem a Deus devam obedecer ás nossas leis judaicas. Devemos apenas escrever a eles para que deixem também de comer carne sacrificada aos ídolos, deixem toda a imoralidade sexual e deixem também de comer carne de animais estrangulados sem sangrar.” (Atos 15:19,20)

Esses não eram meramente conselhos de alguns homens! A Palavra de Deus diz especificamente que o “Espírito Santo” autorizou esse ensinamento, “pareceu bem ao Espírito Santo e a nós…” (At 15:28), vejam desde que o que os apóstolos disseram através do “ESPÍRITO SANTO”, então logo foi inspirado por Deus, não temos direito a coloca-lo de lado! E ainda mais…esses mandamentos são chamados de “coisas necessárias” (Atos 15:28). A Palavra “necessário” nos trás sinônimos como sendo (Essencial, obrigatório, primordial, indispensável, inevitável…). O que é Essencial não é opcional e não pode ser anulado por nossa vontade. Observem mais “eles iam de cidade em cidade, comunicando a decisão…” (Atos 16:4). A palavra “decisões” se refere a decretos e ordenanças. A linguagem usada nessas decisões certamente não deixa a impressão de que eram opcionais ou temporárias!

Eles não estavam lidando só com um assunto temporário local, esses mandamentos fazem parte dos ensinamentos apostólicos revelados pela boca de Deus. Não se pode entendê-la de duas maneiras, se sexo ilícito e comer comidas oferecida a ídolos são errado, então logo todos eles estão. Se um deles está errado hoje, todos também estão! Linguagem idêntica é usada para descrever todos eles, sabemos que a fornicação e a idolatria são sempre erradas. Não há situação, ou lugar, ou tempo no qual o Novo Testamento permita qualquer delas. Assim, não há situação, ou lugar, ou tempo no qual o Novo Testamento permita comer sangue. “E nós nunca deixaremos de agradecer a Deus o fato de que quando lhes anunciamos a mensagem, vocês não pensaram que as palavras que lhes falávamos eram apenas palavras nossas, mas aceitaram o que dizíamos como a própria palavra de Deus, que foi eficaz na vida de vocês quando creram nela.” (1 Tessa 2:13)

Quando se entende que fornicação e idolatria são sempre erradas, torna-se fácil ver que comer sangue é errado também. Deus deu a carne do animal, mas o sangue não. “Quando um israelita ou um estrangeiro que vive no meio do povo caçar um animal ou uma ave que se pode comer, deverá derramar o sangue na terra e depois cobri-lo com terra, porque a vida de todo ser vivente está no seu sangue. Por isso, mandei os israelitas não comerem o sangue de nenhum animal, pois o sangue é a vida. Quem comer sangue será expulso (extirpado) do povo.” (Lev:17:13,14). E após alguns anos, eles reconheceram que ainda deveriam ‘guardar-se do que é sacrificado a ídolos, bem como de sangue e da fornicação’. “Quanto aos gentios convertidos, não estamos pedindo de modo nenhum que sigam estes costumes judaicos, a não ser aqueles pontos sobre os quais já escrevemos a eles; não comer alimento oferecidos aos ídolos, não comer carne de animais estrangulados (sufocados) sem sangrar e não praticar a imoralidade sexual” (Atos 21:25)

COMER SANGUE: Primeiramente para entender porque a Bíblia diz “COMER” sangue é justamente porque o sangue cozido “COAGULA” e fica em “PEDAÇOS”. E NÃO comer sangue, pelas mesmas razões acima, trata-se de uma ordem dada antes da Lei, portanto valendo para todos os habitantes do planeta depois do dilúvio. Naquela ocasião Deus deu aos homens, até então vegetarianos, os animais como alimento, colocou nos animais o medo dos homens, proibiu comer carne com sangue. Comer sangue de animais ou mesmo deixar de tirá-lo da carne é um costume dos pagãos da época e também uma cultura largamente praticado no Brasil, principalmente com as pessoas do campo. É comum no sítio fazer chouriços e comer o sangue em algumas receitas típicas (Frango ao Molho Pardo, Galinha à Cabidela, Sarapatel – Chouriço, Morcillas ou Morcelas – Ela tem em vários países…Morcilla em espanhol (península Ibérica) e o famoso Chouriço em português, são a mesma coisa, linguiça feita com pedaços de carne de porco com muito sangue e temperos, e todos estes tem como ingrediente sangue na receita!

Não confunda com o “caldo vermelho ou suco vermelho” que sai da carne, que é composta por Mioglobina do músculo e não Hemoglobina do sangue! A Hemoglobina está presente no sangue e a Mioglobina no tecido muscular. Simplificando: O “suco” vermelho que sai da carne mal passada não é sangue (Hemoglobina), na verdade, o líquido é (Mioglobina) é nele que estão as vitaminas, todo o sangue do animal morto sai do organismo dele antes da carne ser vendida, pois as carnes que compramos em açougue legalizado, geralmente já estão sem sangue.

“Comei de tudo quanto se vende no açougue, sem perguntar nada, por causa da consciência.” (1 Co 10:25)

O Sangue representa a vida concedida pelo Criador e as pessoas ao tratarem o sangue como algo especial demonstrava que dependiam dele para viver, o sangue tem um significado especial para Deus. Portanto, nestas partes da Lei mosaica encontramos detalhes a respeito do sangue, onde ao derramá-lo no chão e cobri-lo com terra, um caçador israelita mostrava o seu respeito pela vida que tinha tirado com permissão divina em sinal de reconhecimento de que tinha tirado uma vida com permissão divina e estava a devolvê-la a Deus “A única proibição é quanto ao sangue. Esse vocês não poderão comer; derramem o sangue no chão como se fosse água.” (Dt 12:16)

Esta proibição foi dada para inspirar no homem o respeito pelo sangue. Não comer alimentos com sangue é antes de tudo uma questão de princípios e um profundo respeito por Jesus Cristo, por Ele ter dado a própria vida (SANGUE) em resgaste de muitos, se fazendo holocausto vivo, derramando assim seu sangue como sacrifício por todos nós. O sangue é a vida (ALMA) do animal e o Senhor certamente pedirá conta dele no ultimo dia. O animal não tem alma, não é eterno como Deus e a alma dos homens. Não importa o destino tanto, justos como pecadores, estarão em estado eterno possuem alma e a alma não pode morrer. Quanto aos animais não passarão por julgamento nenhum (Juízo final), pois não possuem alma. È necessário sangrar o animal e derramá-lo na terra como água, como que se estivesse devolvendo a vida (sangue) a Deus. Tudo o que seja feito exclusivamente com sangue de animal não podemos comer, nem beber.

NÃO COMER CARNE SUFOCADA: Carne sufocada é do animal que foi morto sem sangrar! O animal que é morto por sufocamento ou estrangulamento se refere a animais mortos e não sangrados, estes ainda contém sangue em seu corpo, pois não foi derramado, exemplo da carne de caça e da galinha com pescoço apenas quebrado. Quem já viu um frango cozido ou assado depois de morto com o pescoço quebrado ou por asfixia e sem ser sangrado sabe que a carne tem a cor bem escura, por causa do sangue que permanece nela. Não se deve comer carne que esteja sufocada, ou seja, de um animal que não sangrou na hora de seu sacrifício. Muitos perguntam: “A Bíblia proíbe comer carne sufocada e por que comer peixe é permitido já que eles morrem de asfixia”? O Problema não está no “ENFORCA”, mas no sangue que não foi escorrido, se você consumir o sangue você paga pela vida dele!

MAS O QUE JESUS QUIS DIZER COM BEBER MEU SANGUE E COMER MINHA CARNE?

Jesus usou por várias vezes linguagens figurativa (Figurativas\Metáforas: Ex: Esse moço é um “GATO!” – Bom é apenas um moço “BONITO”, não necessariamente ele é um animal felino). Assim Jesus também disse “Eu sou a porta”, “Eu sou a videira verdadeira”, e nem por isso compreendemos que Ele seja como uma porta de madeira, ou como uma árvore. Outra expressão figurada usou Jesus na instituição da Santa Ceia, Ele disse, referindo-se ao pão: “(…) Tomai, comei, isto é o meu corpo”. E, referindo-se ao vinho disse: “(…) Isto é o meu sangue” (Mt 26:26,28)

“Comer a minha carne e beber do meu sangue” significa, portanto, a necessidade que temos de estarmos permanentemente em comunhão com Jesus, e em obediência á Sua Palavra, devemos ter fome da Palavra, para que a chama da nossa fé continue acesa. É esse o verdadeiro sentido da mensagem. Jesus disse que “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele” (Jo 6:56). Por essas Palavras Jesus ensina que não é um comer e beber físicos, mas que Ele é a única fonte da graça e da vida espiritual. Essa vida é uma vida eterna em comunhão com Deus. Tal como Jesus disse, “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna…” (João 6:54). Por comer e beber Cristo nós temos comunhão com Ele, que concede sua vida a nós, assim como o pão alimenta o corpo. Jesus também é o nosso sustento! A graça e a vida de Cristo não são transmitidas a nós pelo nosso comer com a boca, mas pela obra do espírito mediante a palavra, pela fé, que Cristo transmite a Sua vida a nós. E pelo partilhar da graça do Seu Espírito mediante a fé é que nós o comemos. A Graça não pode ser ingerida com os dentes.

A IMPORTÂNCIA DO SANGUE PARA DEUS: No culto israelita o que mais se usava era sangue, o único uso do sangue permitido por Deus era nos sacrifícios, que foram substituídos pelo sacrifício perfeito de Cristo que deu o seu sangue por nós. O sangue é VIDA, por isso foi escolhido para tirar os pecados. E como elemento primordial e símbolo da vida, é tratado com um grande respeito em toda a Bíblia, e assim Deus ainda quer que continuemos a respeitar, conforme decretado pelo Espírito Santo de Deus em Atos dos Apóstolos. Deus requer de seu povo respeito por este elemento!

SANGUE É VIDA!

Deus Abençoe á Todos!
TEXTOS QUE VOCÊ POSSA SE INTERESSAR TAMBÉM:

VOCÊ DESEJA LER E ENTENDER A BÍBLIA, PORÉM TEM DIFICULDADES PARA COMPREENDER OS TEXTOS? AGORA VOCÊ JÁ PODE INICIAR SUA LEITURA BÍBLICA DE FORMA FÁCIL E SIMPLES 😉 É DE GRAÇA 😄 PARA INICIAR BASTA CLICAR NO LINK ABAIXO👇